O skatista conheceu 47 países em 10 anos, e se engana quem pensa que ele vai parar por aí

Marcelo Gervasio da Silva, de 55 anos fez uma promessa antes de seu pai falecer: viajar ao mundo. Inicialmente a ideia era ir de bike pelos lugares, porque ele era ciclista, mas como sofreu um acidente e começou a andar de skate, um amigo brincou que sua promessa ia ser cumprida dessa maneira.

Então começou a considerar a ideia, mas para que isso fosse possível, o esportista teve que adaptar o skate e aperfeiçoá-lo ao máximo. Essa construção demorou três anos, selecionando rodas mais resistentes, adaptadas a qualquer tipo de solo, além de treinar pelas avenidas do Rio.

Jornada do skatista que deu uma volta ao mundo 

Foto: Divulgação

Marcelo começou suas viagens pelo Brasil, primeiro foi de Copacabana a Angra dos Reis e depois foi aumentando os quilômetros, percorrendo 2.327 Km em 45 dias, passando por Goiás, Brasília e Rio de Janeiro. Assim, seguiu explorando o país, mas quando chegou ao sul, decidiu arriscar e conhecer países próximos como Uruguai e Argentina.

Logo depois partiu para a África, indo de norte a sul e finalmente retornou ao Brasil, mas não para ficar, e sim iniciar um novo percurso para o Chile. Nessa ideia de dar uma volta ao mundo com skate, Marcelo já conheceu os cinco continentes, percorrendo 57 Km, entre alguns dos países visitados estão: Madagascar, Moçambique, Finlândia, Bélgica e Espanha.

O grande objetivo do viajante era estar em Moscou para a copa de 2018, ele conseguiu e ainda seguiu por uma longa caminhada pela Europa depois. Assim, seu novo objetivo é estar nas Olimpíadas de Tóquio em 2020, visitando a Oceania e Coreia do Sul nesse caminho.

No entanto, Marcelo compartilhou que viaja preparado, com vários equipamentos e utensílios, como mini cozinha, barraca, remédios, produtos de higiene pessoal e roupas básicas. Mesmo com apenas 60 reais na carteira, o skatista consegue se virar, sempre compartilha sua história com as pessoas e acaba recebendo ajuda para conseguir dar sua volta ao mundo.

Imprevistos e aventuras durante a volta ao mundo 

Foto: Divulgação

Um dos grandes segredos desse skatistas é mostrar que é brasileiro. Marcelo contou em uma entrevista para a Uol Viagem que já quase foi atacado por milicianos na Somália, só que o que realmente o salvou foi fazer embaixadinhas, mostrar a camisa do Neymar e saber improvisar no idioma.

Assim como qualquer pessoa que deseja viajar ao mundo, Marcelo passou por experiências bem diferentes no quesito hospedagem. O esportista já dormiu em hotéis 5 estrelas e também em banheiros públicos, como na França, onde apenas esticou seu colchonete e esperou que nenhum guarda aparecesse.

Mas no fim todas essas vivências serviram de aprendizado, porque Marcelo descobriu expressões em muitos outros idiomas. Antes de viajar, ele só sabia Inglês e Espanhol, atualmente consegue falar cerca de 300 a 40 expressões em alemão, russo, swahili e malagasy, além das frases básicas em diversas línguas, como: “ Meu nome é Marcelo, sou do Brasil” ou “estou atravessando o mundo de skate”.

Leia também:

» Aposentado russo conclui volta ao mundo a pé percorrendo 24 mil quilômetros
» O casal de aposentados que largou o sofá para dar a volta ao mundo
» Americano viaja durante 50 anos e conhece todos os países do mundo
» Brasileiro está dando uma volta ao mundo a pé!

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Seguros Promo.
» Faça o seu visto e antecipe seu passaporte com a Visto Fácil.

Neve em Gramado: frente fria pode deixar a cidade toda branca

Artigo anterior

Conheça o Busch Gardens, um dos melhores parques temáticos da Flórida

Artigo seguinte

Você pode gostar