O Chile conta com os céus mais limpos de todo o hemisfério sul, além de abrigar alguns dos maiores e mais importantes observatórios científicos do mundo

Se os cenários chilenos já surpreendem os turistas por suas características únicas e paisagens surreais, quem olha para cima tem ainda mais motivos para se encantar. Com 300 dias de céu limpo por ano, além de condições geográficas e climáticas singulares, o Chile é o lugar ideal para contemplar as estrelas em meio a paisagens exuberantes.

Com um cenário tão favorável, o turismo de observação de estrelas, conhecido como astroturismo, cresce a cada dia mais no país. É por isso que, se você tem uma viagem marcada para o Chile, deve considerar incluir em seu roteiro um surpreendente tour astronômico para se encantar com as constelações, planetas, estrelas cadentes e todo tipo de astros que enfeitam os céus chilenos.

Chile: o país perfeito para admirar o céu

Foto: Divulgação

Não existe lugar no planeta para a observação dos astros que o Chile. Para se ter uma ideia, o país não só ostenta as condições ideias para a atividade, como umidade do ar baixa, poucas partículas de poeira, diversidade geográfica dos terrenos e grande quantidade de dias com tempo aberto, como também reúne mais de 40% da infraestrutura para observação astronômica do mundo – um número que pode aumentar em 60% para os próximos dez anos.

Desta forma, o Chile oferece alguns dos maiores e melhores observatórios mundiais de categoria científica espalhados por todo o país. São mais de 30 observatórios abertos ao público espalhados por diversas regiões chilenas.

Visitas gratuitas aos observatórios do Chile

Foto: Divulgação

Para quem quer aprender mais sobre os fenômenos astronômicos, alguns observatórios científicos chilenos oferecem visitas gratuitas que acontecem durante o dia. No entanto, as vagas são limitadas e devem ser reservadas com antecedência, já que a procura pelo astroturismo nas regiões chilenas aumenta a cada dia.

A dica é reservar as visitas com, ao menos, um mês de antecedência. Abaixo, listamos alguns observatórios que abrem suas portas ao público e como fazer para visitá-los:

Observatório Paranal

O Observatório Cerro Paranal fica a fica a 130 km ao sul de Antofagasta, no litoral norte do Chile. As visitas são realizadas somente nos dois últimos fins de semana de cada mês e permitem percorrer suas incríveis instalações com alguns dos instrumentos ópticos mais avançados do mundo, além de oferecer acesso a diversas informações sobre astronomia. Para mais informações, clique aqui.

Observatório ALMA

O mais famoso observatório chileno e maior projeto astronômico terrestre do mundo fica a mais de 5.000 metros de altitude em pleno Deserto do Atacama. O complexo abriga 66 telescópios ou antenas de rádio que, em conjunto, estudam o nascimento das galáxias, estrelas e planetas.

Para realizar as visitas, que ocorrem todos os sábados e domingos de manhã, é necessário se cadastrar no site clicando aqui. Durante o tour, é possível visitar a sala onde a equipe do ALMA trabalha e visualizar os laboratórios de manutenção, além das antenas do observatório.

Cerro Tololo

Na cidade portuária de Coquimbo está o Cerro Tololo, um observatório localizado a 2200 metros sobre o nível do mar que apresenta um radiotelescópio e sete telescópios ópticos. O espaço abre ao público todos os sábados com um limite de 40 visitas por dia.

Uma dica é fazer a reserva com antecedência, especialmente do período de dezembro a março. Os passeios são realizados gratuitamente por um guia profissional. Para mais informações sobre o agendamento, clique aqui.

Observatório Gemini

Bem próximo a Cerro Tololo está o Observatório Gemini, que abriga um sistema de telescópios óticos infravermelhos que permitem observar o céu de ambos hemisférios.

O observatório oferece excursões gratuitas às sextas-feiras, que são realizadas por guias especializados em grupos de no máximo 8 pessoas. É necessário agendar as visitas com dois meses de antecedência pelo site clicando aqui.

Observatório La Silla

O Observatório La Silla está situado no deserto do Atacama, mais precisamente a 600 quilómetros ao norte de Santiago, a uma altitude de 2400 metros. É reconhecido como o centro astronômico mais produtivo do mundo e não permite o acesso de crianças menores de 5 anos por razões de segurança.

As visitas acontecem aos sábados, das 14h às 17h, e mais informações devem ser consultadas no site do observatório clicando aqui.

Roteiros especiais para observar o céu

Foto: Divulgação

O que já parece incrível fica ainda melhor: os tours de astroturismo no Chile vão além da visita aos observatórios e permitem verdadeiras experiências junto à observação do céu. No Deserto do Atacama, por exemplo, existe o chamado etno-astroturismo ou arqueo-astronomia, que oferece ao visitante a oportunidade de compreender o impacto que as constelações tiveram na vida dos povos andinos.

Alguns observatórios personalizam as visitas e oferecem passeios com valores variados que vão desde cavalgadas sob as estrelas a experiências ao ar livre, uma verdadeira imersão ao mundo das constelações. Já outros programas, oferecidos por agências e guias, permitem um tour astrofotográfico, onde fotógrafos convidam turistas a “caçar” as imagens mais espetaculares da galáxia.

Leia também:

» 16 cidades bonitas para visitar no Chile
» Qual época tem neve em Santiago, capital do Chile?
» Passeios no Atacama: Lagunas Altiplânicas e Salar de Atacama
» Roma: agência oferece passeios rápidos para quem tem conexão longa na cidade

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

Conheça o parque que serviu de inspiração para cenários de “O Rei Leão”

Artigo anterior

16 lugares legais para ir em São Paulo

Artigo seguinte

Você pode gostar