Roteiro em Marrocos: conhecendo o sul do país

Quem decide visitar o sul de Marrocos tem a oportunidade de conhecer uma das regiões mais antigas e ricas em história e cultura da África

O sul de Marrocos é conhecido por abrigar algumas das construções milenares mais importantes do país. As kasbahs são casas espaçosas e palácios arquitetadas em estilo berbere, a rota também inclui os impressionantes ksours (plural de ksar) – cidadelas fortificadas, que protegiam as populações de invasões de outras tribos e ajudavam os povos na sobrevivência e eram uma solução para as condições climáticas extremas da região norte do continente africano.

A maioria dos viajantes que fazem essa expedição iniciam a viagem por Erfoud ou Marraquexe (Marrakech). Para chegar a primeira opção é necessário pegar 609km de estrada saindo de Casablanca ou optar por transporte aéreo com as companhias que oferecem esse trecho, como a Royal Marroc, uma das principais do país.

Essa viagem teve suporte do Grupo Xaluca, uma rede de hotéis que tem unidade nas principais cidades desse roteiro pelo sul de Marrocos. Além das hospedagens o grupo também oferece transfers e passeios para o Deserto do Saara, visitas a cidades imperiais, oásis e povoados nômades, tudo feito com o apoio de carros 4×4 em uma verdadeira roadtrip pela África.

Leia também:

Marrocos: dicas de como planejar uma viagem pelo país
Mesquita Hassan II em Casablanca, o maior templo de Marrocos
Chefchaouen, a cidade azul em Marrocos
Viaje para Marraquexe e tenha um dia mágico no deserto

Conhecer essa parte peculiar do país nos faz mergulhar de cabeça na história de uma das nações mais antigas do mundo, compreender o cotidiano e as crenças do saudoso povo marroquino e descobrir uma área única do planeta que abriga importantes impérios erguidos no norte do continente africano, localizado nos arredores do Deserto do Saara, o maior deserto do globo e a próximo da Cordilheira do Atlas, uma cadeia de montanhas que chegam a até 4167m de altitude e 2400km de extensão cruzando o noroeste da África até a Tunísia.

Essa expedição inesquecível e cheia de aventuras passa pelas cidades de Erfoud, Tinghir, Boumalne, Ouarzazate e Marraquexe. Durante o trecho são apresentados alguns dos cenários mais imponentes do país e inúmeras construções impressionantes e importantes de Marrocos, como o ksar de Aït Ben Haddou, consagrada com o título de Patrimônio Mundial da Unesco.

Dia 1 – chegada em Erfoud

Conhecida como porta do Deserto, Erfoud é uma típica cidade árabe erguida sobre um terreno árido e desértico que relembra um oásis. O destino serve como ponto de partida dos turistas que desejam conhecer o Deserto do Saara pela região de Merzouga e possui algumas atrações que merecem uma visita, como o mirante do monte Jbel Erfoud e o Palácio Real.

Hotel Xaluca em Arfoud. Foto: Gustavo Albano

Trecho para chegar até o Deserto do Saara. Foto: Gustavo Albano

Onde ficar em Erfoud:
Hotel Xaluca Erfoud
Reserve aqui.

Dia 2 – partida para Merzouga até as dunas de Erg Chebbi

Para chegar até o Deserto do Saara é preciso cruzar um trecho pedregoso de origem vulcânica emoldurado por paredões rochosos. Durante o percurso é possível parar em alguns mirantes, conhecer como funcionam os poços artesanais construídos pelos povos que vivem nesse território inóspito do país e conhecer o dia a dia dos povos nômades que circulam pela região.

O ponto alto do passeio é sem dúvidas a chegada as grandes dunas de Erg Chebbi em Merzouga, no Deserto do Saara. A atração pode ser explorada a pé ou no tradicional passeio com dromedários até o ponto mais alto do morro de areia para apreciar o pôr do sol.

Para deixar o dia ainda mais inesquecível, o grupo Xaluca oferece hospedagens em tendas super luxuosas instaladas em meio as dunas do Saara. A experiência única de pernoitar no deserto é acompanhada de um coquetel de boas vindas com música tradicional e um jantar pra lá de especial que apresenta o melhor da cozinha marroquina.

Entrada para o Deserto do Saara. Foto: Gustavo Albano

Passeio pelas dunas de Erg Chebbi. Foto: Gustavo Albano

Onde ficar no Deserto do Saara – Merzouga:
Hotel Xaluca Bivouacs
Reserve aqui.

Dia 3 – Partida para Boumalne Dades, passando por Rissani, Tinghir e as gargantas de Todgha.

Em seguida partimos em direção a cidade de Boumalne seguindo rumo ao Alto-Atlas Central. No caminho nos deparamos com modestos povoados praticamente abandonados, espalhados nas extremidades do deserto. A pequena população que vive nessa área inóspita, sobrevivem de doações e com os turistas que visitam a região comercializando alguns artesanatos feitos de tecido e fósseis polidos encontrados no solo do deserto.

É nessa parte do trecho que nos deparamos com a fantástica Estrada das mil Kasbahs, um dos roteiros mais famosos e procurados de Marrocos, onde como o próprio nome já diz, reúne uma infinidade de construções berberes que podem ser visitadas.

A dica nesse trecho é conhecer a incrível cidade de Rissani, que durante anos teve seu apogeu pela sua localização fundamental na Estrada do Sal. O souk de Rissani, ou feira livre, acontece nas terças, quintas e domingos e é um dos maiores da região!

Aconchegante e rústica, a cidade de Tinghir atraí turistas que desejam vivenciar e observar o modo de vida de uma comunidade tradicional dessa região de Marrocos, com casas de adobes e ruas estreitas que formam verdadeiros labirintos. Tinghir é também porta de entrada para os famosos desfiladeiros de Todra e Dadès. Região localizada na fronteira do Saara com um importante valor histórico para o país por ter sido rota de comércio do sal, pedras preciosas e escravos.

Da cidade até o desfiladeiro de Todra são aproximadamente 17km que passam por um impressionante oásis com kasbahs antigas, formando um cenário cinematográfico único.

A garganta impressiona pela magnitude do tamanho da enorme cratera que separa o Alto Atlas do Monte Saghro, com seus 2700 metros de altura. A estrada segue em um caminho estreito beirando o Rio Todra que fica bem seco em boa parte do ano.

O pôr-do-sol pode ser apreciado na charmosa estrada que segue até o município de Boumalne. A dica é conferir todos os mirantes encostados na pista e admirar o visual ímpar do local.

Mercado popular de Rissani. Foto: Gustavo

Rissani. Foto: Gustavo Albano

Cenários de Tinghir. Foto: Gustavo Albano

Onde ficar em Boumalne:
Hotel Xaluca Boumalne Dades
Reserve aqui.

Dia 4 – Partida para Ouarzazate com parada em Ait Ben Haddou

Ouarzazate é sem dúvidas um dos destinos mais interessantes e belos desse roteiro, o destino também é conhecido como a Hollywood Marroquina, graças aos seus belos cenários que chamaram a atenção de diversos diretores renomados que transformaram o local em plano de fundo de filmes e seriados como A Múmia, Indiana Jones, Asterix e Obelix, A Cruzada e Game Of Thrones.

Não deixe de conferir o Museu do Cinema e a Kasbahs de Taourirt, a segunda mais bem preservado do país. Um exemplo grandioso da genialidade da construção berbere, sempre formada com desenhos geométricos erguidos com argila, estrume e palha.

Outra atração imperdível próxima do destino é o Ksar de Aït Ben Haddou, à apenas 25km do centro da cidade. A cidade fortificada erguida sobre uma imensa montanha rochosa que conta com fortalezas, casas, praças, terraços, ruas empedradas e mesquitas.

Ait Ben Haddou. Foto: Gustavo Albano

Ouarzazate. Foto: Gustavo Albano

Onde ficar em Ouarzazate:
Hotel Le Berbère Palace
Reserve aqui.

Dia 5 – Partida para Marrakech

O caminho até Marraquexe é feito pela cordilheira do Atlas em estradas sinuosas construídas na beira de precipícios e desfiladeiros. Apesar do friozinho na barriga o caminho reserva muitas paisagens formadas por vales e montanhas que se estendem em aproximadamente 4 horas de viagem.

Impossível não mencionar a vibração, a explosão de cores e detalhes que Marraquexe carrega. O destino é um dos mais visitados do país e possuí uma gama enorme de atrações imperdíveis. É possível conhecer a cidade em 2 ou 3 dias, mas o recomendável é ficar um tempinho a mais para conseguir compreender e vivenciar o caos gostoso da cidade.

O primeiro dia pode ser aproveitado para conhecer duas atrações muito procuradas em Marrakech: o Jardim Majorelle, um espaço que reúne diferentes espécies de cactos, plantas e árvores exóticas criado pelo pintor francês Jacques Majorelle e o Museu Yves Saint Laurent, dedicado a um dos maiores gênios da moda que viveu durante anos em Marrakech.

Nos Jardins Majorelle o visitante encontra grande variedade botânica com cactos, plantas exóticas e árvores diversas. Foto: Divulgação

Diversas peças do estilista estão exposta nesse museu de Marraquexe. Foto: Divulgação

Dia 6 – Tour em Marrakech

Muito marcante por suas comidas, temperos, cultura, religião, arquitetura e as pessoas que ali vivem. Marrakech é o resultado da mescla dos diferentes povos que passaram pelo país e influenciaram a cultura marroquina, como os berberes, mouros, espanhóis e franceses.

Não deixe de conferir a Praça Jemaa El-Fna, a escola Madrasa Ben Youssef e o impressionante souk da cidade, uma espécie de mercados de rua localizado dentro da Medina com milhares de tendas que comercializam uma gama enorme de produtos e especiarias do país.

Souk de Marrakesh, o melhor lugar para encontrar souvenirs e produtos típicos do país. Foto: Pixabay

Mesquita Cutubia. Foto: Pixabay

Onde ficar em Marrakech:
Four Seasons Resort Marrakech
Reserve aqui.

* Essa viagem foi feita à convite da Delegação Oficial de Turismo de Marrocos em colaboração com a companhia aérea Royal Air Maroc Brasil.


- Descubra o hotel ideal para você, reserve seu hotel com o Booking.com.
- Encontre pacotes de viagem em oferta com a CVCSubmarino ViagensDecolar.com.
- Pesquise os melhores preços de passagens aéreas em tempo real para a sua viagem.