Confira um roteiro imperdível pelo Norte do Marrocos, passando pelas cidades de Casablanca, Tânger Tétouan, Chefchaouen, Fez e Ifrane

Terra de contrastes e paisagens fascinantes, o Marrocos é um país que oferece uma grande diversidade de destinos interessantes para quem escolhe visitar essa região. Você pode ver de tudo nesse pedacinho do globo: paisagens exóticas, cenários desérticos, cidades milenares que carregam um conjunto arquitetônico pitoresco, metrópoles modernas, praias maravilhosas e até mesmo montanhas cobertas de neve.

De um lado do país (mais ao sul), o Deserto do Saara é o grande destaque e esconde belezas e curiosidades que deixam qualquer um ainda mais apaixonado pela força e cultura africana. Viajando para o Norte, outras surpresas igualmente encantadoras permitem que o visitante viva a rotina e a tradição marroquina.

Se você está planejando explorar o noroeste da África, mas ainda não sabe por onde começar, confira esse roteiro no Norte do Marrocos passando por 6 cidades icônicas e impressionantes do país.

Roteiro no Norte do Marrocos

O roteiro tem início na cidade de Casablanca, considerada a capital econômica do país e segue para cidade portuária de Tânger, continuando por Tétouan e sua medina classificada como Patrimônio Mundial pela UNESCO, seguindo para a sedutora cidade azul de Chefchaouen, terminando com a fascinante cidade imperial de Fez, além, claro, de visitar a estância de esqui, em Ifrane, conhecida como a Suíça marroquina. Essas são algumas das cidades que podem ser visitadas em um roteiro completo pela região Norte do Marrocos.

Para os brasileiros que seguem viagem ao país, a principal porta de entrada é o Aeroporto Internacional Mohammed V, na cidade de Casablanca. A empresa Royal Air Maroc oferece voos semanais saindo de São Paulo e do Rio de Janeiro em direção a cidade marroquina. 

Quem pretende chegar ao Marrocos saindo da Europa, é possível pegar alguma das companhias aéreas de baixo custo que realizam voos até Casablanca ou para cidade de Fez, como a Ryanair, a JetCost e a Vueling.

A moeda oficial do Marrocos é o Dirham marroquino, mas, por ser uma moeda com pouca relação com o Brasil, o recomendado é levar dólares ou euros e trocá-los em uma casa de câmbio ao chegar de viagem. As casas de câmbio do aeroporto costumam ser as menos aconselhadas para fazer a troca, ficando melhor fazer a conversão no seu hotel ou casas de câmbio localizadas nos centros comerciais. 

Todas as cidades mencionadas no roteiro na região Norte do Marrocos são bem preparadas para receber turistas. Existem muitas casas de câmbio em todos os destinos, principalmente nas zonas mais turísticas, mas caso você não tenha contratado um serviço de transfer, pode ser uma boa trocar parte do dinheiro ainda no aeroporto, mas lembre-se, as taxas são menos vantajosas.

O Marrocos tem como idioma oficial o árabe, mas o país inteiro se comunica principalmente em francês, já que essa é uma das línguas oficiais. A proximidade com a Espanha também trouxe bastante familiaridade com a língua espanhola para os marroquinos que vivem próximos dessa região. Grande parte da população no Norte do país compreende o idioma. Como em outros países turísticos, o inglês também é bastante utilizado nas negociações e acordos comerciais. 

Roteiro de viagem pelo Norte do Marrocos: Casablanca

Casablanca é sem dúvida uma das cidades mais cosmopolitas e modernas do país, oferecendo um leque interessante de atrações turísticas, além de ótimas opções de hospedagens e restaurantes.

O Boulevard de la Corniche é o ponto ideal para começar um tour no destino. A avenida é cheia de cafés, beach clubs e restaurantes, estendendo-se por vários quilômetros à beira mar, passando pela famosa Mesquita Hassan II, o principal cartão postal da cidade e parada que surpreende pela grandiosidade da arquitetura marroquina. 

O templo possui um minarete com 200 metros de altura que pode ser visto em um raio de 30 km de distância, e é a única mesquita aberta para visitação das pessoas que não seguem a religião muçulmana. 

A próxima parada é o centro da cidade, onde você encontrará construções importantes da cidade como a Catedral do Sagrado Coração de Casablanca e a Praça Mohammed V. Outro ponto interessante para visitação é a medina da cidade, onde o turista pode conferir produtos típicos da região e de todo o Marrocos, além claro, de ver uma pequena amostra do que está por vir no resto da viagem. 

Casablanca concentra ótimos shoppings e inúmeras lojas conhecidas internacionalmente, podendo ser um ótimo destino para fazer compras. No centro da cidade, zonas comerciais reúnem lojas de marcas prestigiadas. Já o Morocco Mall, é considerado o maior centro comercial de África, oferecendo mais de 600 lojas (entre marcas nacionais e estrangeiras).

Leia mais sobre a cidade de Casablanca.

Quanto tempo ficar: Casablanca pode ser conhecida em 1 ou 2 dias.
Onde comer: Ricks Café / Hotel Kenzi Tower
Onde ficar: Hotel Kenzi Tower 

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Pixabay

Foto: Guia Viajar Melhor

Roteiro de viagem pelo Norte do Marrocos: Tânger

A cidade portuária de Tânger fica a 3 horas de carro partindo de Casablanca e está localizada no extremo Norte do país. Separada por apenas 14 km da Espanha pelo Canal de Gibraltar, a cidade possui forte influência do país vizinho e abriga um impressionante conjunto arquitetônico, que à séculos é protegido pela muralha que cerca a parte antiga da cidade. 

A medina possuí a melhor localização para quem deseja conhecer as atrações principais da cidade de forma autônoma. Essa área é formada por centenas de ruas estreitas e sinuosas que abrigam diversas opções de hospedagens, mesquitas, souks, restaurantes, cafés e algumas atrações simbólicas do destino, como o Grand Socco, uma agradável praça com uma fonte que faz a ligação com as duas partes da cidade e onde estão localizados a Mesquita Sidi Boubaid, o Cinema RIF e o Tribunal do Comércio.

Tânger possui um clima bem diferente das demais cidades do Marrocos devido ao litoral e a natureza que cerca o local. Durante os finais de semana, é muito comum ver os moradores utilizando as áreas de lazer público como praças e praias. Outras atrações imperdíveis são o encontro do Oceano Atlântico com o Mar Mediterrâneo e as Grutas de Hércules, que segundo a mitologia grega, seria o local onde o semi-deus teria descansado depois de ter separado a Europa da África. 

Para contemplar o pôr do sol na cidade, visite o Terraço dos Preguiçosos, um mirante situado na muralha da cidade com vista panorâmica do Canal de Gibraltar e um pedacinho da região de Andaluzia, na Espanha, O Café Hafa é outra ótima alternativa, o local é um dos primeiros cafés de Tânger, sendo um tradicional ponto de encontro entre moradores e turistas. O café já recebeu diversos intelectuais, artistas e personalidades famosas que visitaram a cidade. 

Quanto tempo ficar: Tânger pode ser conhecida em 2 dias.
Onde comer: Palais Zahia / Rif Kebdani / Morocco Club
Onde ficar: Palais Zahia

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Roteiro de viagem pelo Norte do Marrocos: Tétouan

Tétouan é uma charmosa cidade no Norte do Marrocos, situada entre Tânger e Chefchaouen. Conhecida como “cidade branca”, Tétouan abriga um surpreendente conjunto arquitetônico, sendo a grande maioria pintados com a cor branca, que contrastam de maneira harmoniosa com as majestosas montanhas que cercam a cidade. 

O tour em Tétouan pode começar na Praça Hassan II, que contém um enorme pátio com fontes adornadas por azulejos, e é cercada pelo surpreendente Palácio Real. 

Ao lado do largo, encontra-se a fascinante medina da cidade, classificada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. A medina concentra inúmeros bairros formados de acordo com a etnia ou religião dos moradores, cada bairro conta com a sua própria mesquita, mercados e escolas. Caminhando pelas ruas labirínticas é possível ver outras curiosidades como as casas com fornos comunitário e as fossas coloridas, utilizadas para o tingimento natural do couro, uma tradição muito forte do Marrocos que se mantêm até os dias de hoje.

A cidade também abriga três museus interessantes para quem procura conhecer melhor as histórias e riquezas de toda região: Museu Etnográfico, Museu de Arqueologia e o Museu de Arte Moderna. 

Outro ponto interessante é o bairro judeu, o Mellah. O bairro é totalmente diferente dos outros da medina, com ruas pintadas de branco, azul e verde, e ainda concentra algumas famílias judias, um pequeno souk e alguns becos chamativos que rendem ótimos cliques.

Geralmente, a cidade de Tétouan costuma ser uma parada estratégica entre os turistas que saem de Tânger e seguem para Chefchaouen, mas a cidade é tão bonita e autêntica, que merece ser explorada com calma, aliás, é entre as ruelas da medina que você irá viver um pouco da rotina dos marroquinos. Indicamos tentar passar ao menos 1 noite da cidade para conseguir sentir o clima atraente de Tétouan com calma, você não irá se arrepender! 

Quanto tempo ficar: Tétouan pode ser conhecida em 1 dia ou pernoite.
Onde comer: Riad Blanco
Onde ficar: Riad Blanco

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Roteiro de viagem pelo norte do Marrocos: Chefchaouen

Essa é talvez uma das cidades mais charmosas do roteiro, a cidade azul do Marrocos, também conhecida como “Blue Pearl”, a misteriosa cidade marroquina está encravada entre as montanhas de Rif e foi construída a cerca de 600 metros de altitude. Uma verdadeira pérola que merece ser incluída em seu roteiro!

Como em um cenário de conto de fadas, Chefchaouen possui ruelas e becos decorados com vasos cheios de flores coloridas que te convidam a se perder nesse atraente labirinto azul.

A praça principal é está localizada no coração da medina em frente o Kasbah, um dos primeiros prédios a serem construídos na cidade e rodeada com dezenas de opções de restaurantes, cafés e lojinhas com artefatos de couro, peças de cerâmica, tapetes e souvenirs.

Se estiver com bastante disposição, não deixe de visitar a Mesquita Espanhola, o caminho dura 45 minutos do centro da cidade em um dos pontos mais altos de Chefchaouen, permitindo uma visão privilegiada da cidade. Outra opção para ver a cidade do alto, é fazendo uma parada no badalado Café Clock, escolher um chá marroquino e conferir a vista exclusiva do terraço do estabelecimento.

Tente visitar a pequena Praça Bab El-Sor para conferir a fonte mais bonita da cidade. Apesar da cidade ser bem pequena, é impossível resistir a tentação de caminhar pelas ruas da medina azul apenas uma vez, além disso, a região está cercada de atrações naturais que podem ser acessadas por trilhas do Parque Nacional de Talassemtane e o do Parque Nacional de Bouhachem.

Quanto tempo ficar: Separe 2 dias para Chefchaouen.
Onde comer: Restaurante Dardara
Onde ficar: Dar Ba Sidi / Dar Yakout

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Dica extra: Sítio Arqueológico de Volubilis

Localizada entre as cidades de Chefchaouen e Fez, o Sítio Arqueológico de Volubilis abriga diversas ruínas de uma antiga cidade romana fundada no século III a.C e está inserido na lista UNESCO de Património Mundial da Humanidade.

Esse é o sítio arqueológico mais bem preservadas de todo o Norte da África e conta com uma infinidade de construções surpreendentes como o arco do triunfo, uma basílica, termas e um capitólio. Outros pontos impressionantes são os mosaicos que estão ali até hoje, com desenhos que referem à vida cotidiana e crenças da antiga cidade, o mais impressionantes deles é o que representa os Doze Trabalhos de Hércules, mas existem outros mosaicos imperdíveis para conferir no sítio arqueológico, como o Banho das Ninfas, o Acrobata, e o Banho de Diana.

Uma parada perfeita para descansar da viagem e conhecer outro lugar interessante (e pouco divulgado) para visitar no Norte do Marrocos.

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Roteiro de viagem pelo Norte do Marrocos: Fez

A mais antiga das cidades imperiais do país remete a todas aquelas imagens que vem a cabeça quando pensamos no Marrocos: mesquitas impressionantes, palacetes multicoloridos por mosaicos, riads luxuosos, madrassas e mercados cheios de especiarias. Fundada entre os séculos VIII e IX, a cidade é considerada o centro cultural e espiritual de Marrocos e sem dúvida um dos destinos mais interessantes para se fazer uma visita no país.

Após acessar aos maravilhosos portões que dão acesso a medina de Fez, o turistas é lançado em uma viagem no tempo diretamente para a Idade Média: são mais de 9000 ruas e vielas, que revelam o cotidiano dos habitantes da cidade. Devido sua autenticidade, a Medina de Fez é declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO e abriga algumas das principais atrações turísticas para conhecer em Fez.

Para conhecer a extraordinária arquitetura presente na cidade de Fez, passe pela Mesquita e Universidade de Kairaouine, na Madraça Bou Inania e no imponente Palácio Real. Os curtumes são as tradicionais tinturarias marroquinas e um ponto emblemático da cidade, entre eles se destaca o curtume de Chouara Tannery, o mais conhecido deles, onde você pode ter uma visão panorâmica dos trabalhadores que seguem a mesma técnica até os dias de hoje.

Outra parada interessante para conferir a cidade do alto, é a fortaleza portuguesa, situada no ponto mais alto da cidade e faça aquele registro inesquecível da sua viagem.

A gastronomia é outra atração que merece ser apreciada com atenção, para sentir os sabores e cheiros exóticos da cozinha marroquina. Harire, tajine, cuscuz, pastilla, cordeiro e frutos do mar são alguns dos pratos mais famosos do país que merecem ser degustados.

Para ter uma experiência ainda mais autêntica em Fez, opte por se hospedar em um alojamento típico, escolha entre os riads com os famosos pátios e quartos luxuosos. A segunda opção são os as construções fortificadas, conhecidas como kasbah.

Quanto tempo ficar: Reserve pelo menos 2 dias para Fez.
Onde comer: Riad Maison Bleue / Riad Al Amine
Onde ficar: Riad Maison Bleue / Riad Al Amine

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Roteiro de viagem pelo Norte do Marrocos: Ifrane

Impossível imaginar que o país conhecido por suas área áridas e suas paisagens desérticas possa ter uma região conhecida por suas estâncias de esqui! Isso mesmo, você não leu errado: a charmosa Ifrane recebe turistas principalmente durante o inverno, quando o destino ganha uma pincelada branca decorrente das nevadas que ocorrem com frequência nesta área do país. Como se não bastasse, Ifrane tem belas construções em estilo alpino, uma cidade moderna e ótimas opções de hospedagens, parecendo um pedacinho da Suíça em pleno Marrocos. Aliás, é assim que ela é popularmente conhecida no país, como a Suíça marroquina.

A cidade fica no coração da cordilheira do Médio Atlas e é cercada por belas paisagens naturais. Prova disso é o Parque Nacional de Ifrane, que abriga uma enorme concentração de cedros que chegam até 30 metros de altura em um bosque belíssimo. Outra atração do Parque Nacional são os divertidos macacos de Barbary, que vivem em bandos e podem ser vistos facilmente a poucos metros de distância. 

Quanto tempo ficar: É possível conhecer Ifrane em apenas 1 dia.
Onde comer: Hotel Michlifen
Onde ficar: Hotel Michlifen

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Guia Viajar Melhor

Foto: Guia Viajar Melhor

Leia também:

» Roteiro no Marrocos: conhecendo o sul do país
» O que saber antes de ir para o Marrocos: como ir e outras dicas
» 10 cidades bonitas para visitar no Marrocos
» Como é voar na primeira classe do Dreamliner 787 da Royal Air Maroc

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Seguros Promo.
» Faça o seu visto e antecipe seu passaporte com a Visto Fácil.

Passagens aéreas baratas saindo de São Paulo

Artigo anterior

4 motivos para conhecer a Austrália durante o mês de janeiro

Artigo seguinte

Você pode gostar