A Parada do Orgulho LGBT invade a capital paulista no próximo dia 23 de junho, trazendo Gloria Groove para honrar um dos maiores eventos de São Paulo

A parada do orgulho LGBT de São Paulo é considerada a maior do mundo e vem se tornando uma tradição conforme o passar dos anos. Para o ano de 2019, estima-se que a capital paulista receberá cerca de 3 milhões de turistas, sendo que no ano passado, em 2018, o número foi similar e gerou uma receita de R$190 milhões.

Muitas pessoas não sabem o significado de LGBT: lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. Ou seja, a parada do orgulho LGBT tem a ver com a identidade de cada indivíduo, uma celebração que vai invadir a Av. Paulista no dia 23 de junho, com início às 12h na frente do MASP em direção a Rua da Consolação.

O evento vai trazer muitas figuras famosas para comemorar a 23ª edição do evento em São Paulo, tendo como madrinha Fernanda Lima, sendo o evento apresentado pela drag queen Tchaka. Nos trios vão se apresentar Gloria Groove, Luísa Sonza, MC Pocahontas, Luana Hassen e convidados internacionais como Melanie C e o grupo Sink The Pink.

Turismo LGBT

Foto: Divulgação

A parada do orgulho LGBT de São Paulo vem ganhando enorme visibilidade nas mídias internacionais, e por sua vez, acaba atraindo visitantes do mundo inteiro. Segundo um estudo do Fórum de Turismo LGBT, realizado pela Associação Brasileira de Turismo LGBT (ABTLGBT) e pela revista ViaGo, o Brasil é o país da América Latina que tem maior potencial para crescer economicamente com esse tipo de turismo.

Levando esse dado em consideração, outra pesquisa interessante, também realizada pela Fórum de Turismo LGBT, mostrou que em 2017 foi registrado um crescimento de 11% nesse setor enquanto o tradicional alavancou apenas 3,5%.

Mas o turismo LGBT não está crescendo só no Brasil. Uma pesquisa realizada pela LGBT Travel Market mostrou que, só no ano de 2018, esse tipo de turismo movimentou cerca de US$ 218,7 bilhões no mundo, equivalente a R$ 859,49 bilhões de reais.

Além da parada do orgulho LGBT

Foto: Divulgação

O governo brasileiro já percebeu magnitude do evento e o impacto que ele tem na economia. Por isso, em 2016, o Ministério do Turismo publicou uma cartilha de dicas para atender bem os turistas LGBT, um espécie de guia para acolher bem a comunidade no país, além de algumas explicações de gênero, para promover o respeito e a diversidade.

Já em 2018, o Ministério do Turismo fomentou novamente, fazendo um acordo com o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) e a Câmara de Comércio e Turismo LGBT para promover a divulgação do Brasil como um país “gay friendly”, sendo receptivo não apenas durante a parada do orgulho LGBT de São Paulo.

Curiosidades do evento

Foto: Divulgação

Esse ano, a parada vai ter como tema central os 50 anos de Stonewall, um movimento que se originou após uma invasão da polícia em Nova York no bar Stonewall Inn. O ocorrido aconteceu na madrugada do dia 28 de junho de 1969 é um marco na luta de direitos da comunidade, de acordo com Cláudia Regina, presidente da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros.

Essa manifestação foi um marco muito grande para a comunidade, sendo esse o motivo da celebração do orgulho ser em junho. Ou seja, a parada do orgulho LGBT de São Paulo esse ano não vai carregar apenas 3 milhões de pessoas, mas também uma simbologia de resistência de todo um movimento mundial.

» Destinos gay friendly no Brasil que atraem um novo segmento no turismo
» 5 países onde a LGBTfobia é crime
» Escolha o tema de seu cruzeiro: 14 navios temáticos
» 15 Destinos Gay Friendly para viajar ao redor do mundo

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Seguros Promo.

7 parques aquáticos para curtir em São Paulo

Artigo anterior

Jovem visita todos os países do mundo gastando 20 dólares por dia

Artigo seguinte

Você pode gostar