O que visitar em Roma: roteiro de 2, 3 ou 4 dias

Roteiro de 2, 3 ou 4 dias para visitar os principais pontos e se apaixonar de vez pela capital italiana.

Primeira vez pela Itália? Roma é ponto de partida para quem quer explorar os destinos italianos. Uma das cidades mais visitadas do planeta conta com inúmeras atrações a céu aberto, com museus, monumentos e milhares de anos de história espalhados por cada esquina. 

O que visitar em Roma

Para começar, é claro, o cartão-postal mais tradicional de Roma. O Coliseu, maior e mais famosos símbolo do Império Romano foi construído por volta de 72 d.C. é um dos maiores ícones do país. Na época da construção era conhecido como “Anfiteatro Flaviano” em homenagem ao imperador que ordenou sua construção. O nome “Coliseu” (“Colosseo” em italiano), surgiu como uma referência ao Colosso de Nero, uma estátua de bronze de 35 metros do ex-imperador Nero, que se erguia na praça em frente ao anfiteatro.

O Coliseu já foi usado para os famosos combates de gladiadores, simulações de batalhas navais (quando sua arena era alagada) e como fortaleza. O monumento foi palco de marcos importantes da história e é sempre retratado em filmes que falam desse período. Hoje, em ruínas, ainda ergue-se majestoso no centro da cidade, cercado por avenidas e recebendo, diariamente, quase 3 milhões de turistas para absorver um pouco da imensa história que suas paredes guardam.

Leia também:

Turismo na Itália – Principais pontos turísticos de Roma
Conheça 10 ilhas paradisíacas para visitar na Itália
Itália: guia que fala português em Roma
Brasileiros não precisam de visto para entrar na Itália

O jeito mais simples de chegar ao Coliseu é pelo metrô. Pegue a linha B, azul, e desça na estação “Colosseo”. Próximo ao Coliseu encontramos outra parada obrigatória para os aficionados em história antiga. O Foro Romano e o Palatino. Campos arqueológicos que datam desde 850 a.C.

Coliseu. Foto: Victor Bayon

O Palatino é onde se encontram as ruínas dos antigos palácios romanos e também onde acredita-se que Roma tenha sido fundada. Segundo a lenda, Eneas, filho da deusa Vênus, abandonou Tróia em chamas e veio se instalar na península itálica, onde fundou um reino. Anos depois, seus descendentes Rômulo e Remo, irmãos gêmeos e filhos do deus Marte, foram abandonados, ainda bebês, por sua mãe para salvá-los de um tio que queria para si o trono que era deles por direito. Ela os colocou em um cesto e os deixou à deriva no Rio Tibre. As crianças foram achadas por uma loba, próximo ao Monte Palatino, que os acolheu e amamentou como se fossem seus. Crescidos, os gêmeos então decidiram formar, ali, uma cidade. Discordando sobre onde a cidade deveria realmente ser fundada Rômulo matou seu irmão Remo, sendo assim o primeiro, e único, rei de Roma.

Palatino. Foto: Martin Hauge-Nilsen

Ao lado do Palatino estão as ruínas do Foro Romano. Centro da cidade durante o Império, onde grandes decisões políticas, econômicas, religiosas e administrativas da cidade de Roma eram tomadas e contém diversos pontos englobados, como arco de tito ou o templo de Vênus, que enaltecem as curvas romanas.

Outro ponto turístico que não pode faltar no seu roteiro com certeza é o Vaticano. Menor país independente do mundo, possui suas fronteiras cercadas por um grande muro e está completamente dentro de Roma. É onde estão a Basílica de São Pedro cuja cúpula é o lugar mais alto de Roma, a Praça de São Pedro projetada por Bernini e os Museus Vaticanos, onde se encontra a famosa e incomparável Capela Sistina. É possível gastar uma manhã ou uma tarde inteira para conhecer a sede da igreja católica, se planeja incluir a visita em seu itinerário veja o que fazer em Turismo no Vaticano: principais lugares para conhecer.

Vaticano. Foto: via Flickr – throughalens83

Para uma visita mais proveitosa pelos monumentos de Roma, algumas empresas oferecem o serviço de guia com motorista particular, com opções de ingressos “pula fila” para ganhar mais tempo e visitas a outros pontos conhecidos apenas pelos locais. A Elmocar sediada em Roma, é uma das poucas agências especializadas em atender brasileiros nos destinos da Itália e nós sempre indicamos eles por aqui.

O ingresso para o Foro e o Palatino é vendido em conjunto com o do Coliseu, custa a partir de 12€ e é válido por 48 horas. Se pretende comer perto do centro turístico a dica é andar 10 minutos até o restaurante La Taverna dei Fori Imperiali. Não tão caro quanto os restaurantes mais próximos do centro, com pratos até melhores. Um lugar charmoso, perfeito para conhecer um pouco da gastronomia autêntica da cidade.

E que tal depois, partir para uma das fontes mais famosos do mundo? A Fontana di Trevi retrata uma carruagem em forma de concha, puxada por cavalos marinhos e guiada por Tritões. Ela carrega uma lenda que diz que soldados romanos sedentos foram guiados por uma jovem virgem as águas que ficavam a 13 km da cidade. Augustus, o imperador da época, resolveu então ligar a água da fonte a cidade e em homenagem a moça, a batizou de águas virgens.

 

Fontana di Trevi Foto: Giorgio Barlocco

A fontana monumental foi construída por decisão do Papa Clemente XII no mesmo lugar da “Águas Virgens”, o nome “Trevi” vem de “trívio” que significa cruzamento de três ruas, lugar onde está a fonte.

Histórias e lendas a parte o que mais atrai os turistas para a Fontana di Trevi, além da óbvia beleza arquitetônica e sua riqueza em detalhes, é o costume de jogar moedas na fonte esperando um dia voltar a Roma.

Outro detalhe é a Fontana degli Innamorati (Fonte dos Apaixonados), um pequeno chafariz ao lado da Fontana di Trevi. Reza a lenda que se um casal apaixonado bebe desta fonte, ficará junto para sempre.

Para chegar à fontana desça na estação Barberini da linha A, laranja do metrô e ande 5 minutos. A estação também está próxima da Piazza Navona, lar de três fontes belíssimas: A Fonte dos Quatro Rios, a Fonte do Mouro e a Fonte de Netuno. É também onde está localizada a Embaixada do Brasil na cidade, caso precise de algum suporte.

Também próximo a estação Barberini está um dos clássicos da arquitetura romana. O Panteão Romano era um templo dedicado a todas às divindades do panteão romano, e daqui o nome: Pantheon, uma palavra latina derivada de duas palavras gregas, pan e theón, ou seja “de todos os deuses”.

Panteão. Foto: Galeria Arautos

As dimensões do monumento são impressionantes, e a cúpula é enorme, a maior jamais construída na história. Possui um diâmetro de 43,44 metros e igual altura, podendo conter uma esfera perfeita.

É uma das mais bem preservadas estruturas romanas antigas e permaneceu em uso por toda a sua história. Localizado na Piazza della Rotonda, o Panteão tem sido utilizado como uma igreja, dedicada à “Santa Maria e os Mártires” chamada oficialmente de Santa Maria dei Martiri e informalmente de Santa Maria Rotonda desde o século VII. É uma basílica menor da Igreja Católica e foi uma diaconia até 1929.

Há 15 minutos do Panteão está uma das imagens mais famosas de Roma, situada aos pés da escadaria da igreja Santíssima Trindade dos Montes, a bela Praça da Espanha e sua escadaria monumental que já foi até cenário de filme. No centro da Piazza Spagna, que leva esse nome por causa da Embaixada da Espanha cujo edifício se encontra no local, está a Fonte da Barcaça, de Pietro e Gian Lorenzo Bernini, construída em memória da enchente do rio Tibre em 1598. O local também é famoso para compras em lojas de grife. A Via Del Corso, nas proximidades da praça é onde se pode encontrar marcas como Prada, Louis Vuitton, Bulgari ou Armani. Se não quiser ir andando a estação Spagna da linha A, laranja do metrô está exatamente na entrada da praça.

Piazza Spagna. Foto: Matt Hadley

Para fechar o dia, seguindo a Via Del Corso você chegará a Piazza del Popolo (Praça do Povo em português) que, nos tempos do Império, era uma das entradas da cidade. No centro está mais um dos vários obeliscos egípcios que podem ser encontrados em Roma. Este é dedicado a Ramsés II, tem 24 metros e desde o ano 10 a.C. estava no Circo Máximo, sendo transportado para a praça em 1589. Ali é interessante visitar a Igreja de Santa Maria del Popolo, na qual se podem ver duas magníficas obras de Caravaggio, além de interessantes obras renascentistas.

Desde a Piazza del Popolo é possível subir em um dos mirantes mais incríveis de Roma, o Jardins do Pincio. Um parque delicioso onde é possível alugar bicicletas além de contemplar uma das mais lindas vistas da cidade. Para chegar aqui desça na estação Flamínio da linha A, laranja do metrô.

As estrutura turísticas de Roma são impressionantes, sendo simples seguir o roteiro da sua escolha, desde que atente-se aos horários de funcionamento dos pontos turísticos e transportes públicos. E não se preocupe se não fala italiano ou inglês, a cidade abraça todos os visitantes e chegar nos pontos turísticos mais famosos não é nada, se não fácil. Aliás, todos os caminhos levam a Roma certo?

+Info
Elmocar 
Guia em português na Itália
Tel: +39 06 52 27 92 15
WhatsApp: +39 346 754 55 18
Site: www.elmocar.com


- Descubra o hotel ideal para você, reserve seu hotel com o Booking.com.
- Encontre pacotes de viagem em oferta com a CVCSubmarino ViagensDecolar.com.
- Pesquise os melhores preços de passagens aéreas em tempo real para a sua viagem.