O que saber antes de ir para o Marrocos: como ir e outras dicas

Saiba algumas dicas importantes para fazer turismo no Marrocos e aproveite sua viagem por um dos destinos mais inesperados do Norte da África

Um dos lugares mais exóticos e fascinantes do continente africano, Marrocos é uma das grandes surpresas para quem está em busca de um destino inusitado e fora do senso comum. Cidades milenares formam paisagens realmente autênticas e ainda muito bem preservadas até os dias de hoje. Viajar para Marrocos é como entrar em uma máquina do tempo que te leva diretamente para mais de mil anos na história da humanidade.

Pode parecer exagero, mas é impossível não olhar para as cidades imperiais sem se recordar de algum cenário bíblico ou alguma fábula no melhor estilo Aladdin. Nas cidades grandes encontramos um país movimentado e muito seguro para viajar entre as zonas turísticas e regiões centrais. Sempre com muitas pessoas na rua, lojas, restaurantes, pequenos comércios familiares e casas de chá espalhadas pelos bairros e esquinas das cidades.

Em Marrocos, caminhando pelas ruas da caótica e surpreendente Marrakech ou durante uma visita pelas medinas e cidades imperiais fortificadas, protegidas por muralhas, já dá para ter uma boa noção de como é diferente viajar para um país de influência árabe, com paisagens e costumes extremamente antigos. Aït Ben Haddou, por exemplo, é uma das cidades imperiais mais conhecidas na região sul do Marrocos e sua fundação é datada por volta do ano de 757. O país é um dos mais cobiçados por historiadores e viajantes europeus que buscam uma viagem pela África.

O que saber antes de ir para Marrocos?

Tudo é diferente no Marrocos. A começar por sua arquitetura de séculos e cidades imperiais que permanecem intactas. As cores em tons pastéis são criadas pelas construções feitas em adobe, são edifícios e moradias no formato de kasbahs, mostrando um pouco da engenharia árabe e a grande influência dessa cultura que perpetuou no país em tempos idos, formando um cenário épico e digno de ser fotografado.

Para quem está buscando dicas de turismo pelo país marroquino, separamos nessa publicação um guia completo sobre Marrocos com as principais dúvidas e outras informações importantes que você precisa saber antes de viajar pelo país.

O que fazer e onde ir no Marrocos?

O Saara é um dos pontos turísticos mais procurados pelos viajantes que buscam conhecer o deserto mais árido do mundo. Essa é a terceira maior área desértica do planeta, atrás da Antártica e do Ártico, as duas primeiras são regiões polares, com mínima influência humana. Talvez essa seja uma das maiores razões de pessoas do mundo todo desejarem fazer turismo no Marrocos há tanto tempo, mas vale lembrar que o país não é apenas deserto – mesmo que essa seja uma das máximas da sua viagem, ainda mais se você quiser a experiência de dormir no Deserto do Saara, que é simplesmente fantástico e uma boa pedida para o seu roteiro. Falamos mais sobre isso na publicação Marrocos: dormindo uma noite no deserto do Saara.

Mas, muito além do deserto, as cidades marroquinas também valem cada momento da viagem. Mesmo que você não seja um aficionado por história e culturas diferentes, certamente a energia de estar em um país africano, totalmente diferente do seu, proporcionará experiências enriquecedoras. Além do Saara, outros destinos também são inesquecíveis para viver um pouco da essência desse país tão excêntrico. Esses e vários outros lugares fazem do Marrocos um dos países mais diferentes para viajar, formando um destino exótico e verdadeiramente diverso. Listamos alguns dos pontos turísticos mais visitados:

Dicas de viagem Marrocos
Dicas de viagem Marrakech
Dicas de viagem Ouarzazate
Dicas de viagem Aït Ben Haddou
Dicas de viagem Chefchaouen
Dicas de viagem Casablanca
Dicas de viagem Roteiro sul do Marrocos
Dicas de viagem Marrocos e Europa
Dicas de viagem deserto do Saara

Como é a cultura do Marrocos?

Além dos costumes árabes, Marrocos também carrega em sua história a força africana da cultura berbere, uma etnia milenar originária dos povos do deserto do Saara, concentrada especialmente na região norte do Marrocos e Argélia. Nessa área também habitavam os principais comerciantes da época, que usavam a posição estratégica do Marrocos como ponto de partida de produtos da África para a Europa. Os tuaregues eram um povo berbere que controlavam as caravanas que atravessavam o deserto do Saara. Boa parte da história do continente africano que conhecemos hoje, passou embarcado nessas longas travessias.

As rotas de comércio de sal, ouro e até escravos, gerou uma grande povoação e mistura de etnias no país. Em Marrakech e em vários outros destinos marroquinos, você encontra a tradição desses comércios nos famosos souks, uma espécie de mercados populares com várias lojas. Você encontra de tudo nesses mercados: artesanatos, roupas, temperos, produtos para casa e uma infinidade de coisas da cultura árabe e africana. Alguns souks são muito antigos, como o da praça Jemaa el-Fna, a principal em Marrakech. Esse mercado, por exemplo, tem mais de mil ano de existência.

Como ir para Marrocos saindo do Brasil 

Para voos diretos, a companhia marroquina Royal Air Maroc oferece embarques semanais com saídas de São Paulo ou Rio de Janeiro, com uma duração estimada de 10 horas partindo de São Paulo para Marrocos e de 11 horas partindo do Rio. Depois de embarcar é só aguardar a travessia, chegando no outro lado do Oceano Atlântico.

Como ir para Marrocos saindo da Espanha ou Portugal?

Mesmo localizado na África, sua localização e proximidade com a Europa facilita os acessos de turistas que incluem Marrocos em um roteiro pelo Velho Continente.

Se você estiver na Europa, há diferentes formas de chegar no Marrocos. Caso esteja em alguma capital europeia, há voos oferecidos pela Royal Air Maroc com opção de voo direto para Marrocos ou com escalas na Espanha. Os valores mais acessíveis para voos são saindo da Espanha, já que esse é o país europeu mais próximo do Marrocos. Inclusive é possível fazer está travessia de barco, ligando Tarifa (Espanha) a Tânger (Marrocos). Caso queira fazer a viagem dessa forma, detalhamos mais disso na publicação Viajando da Europa para Marrocos.

Como é a religião no Marrocos?

Por ser um país extremamente religioso, com grande parte da população muçulmana, o calendário do Marrocos é diferente do nosso, assim como suas crenças, costumes e rituais. Sua fé é baseada nos manuscritos do Alcorão. O Islamismo é uma religião antiga, criada por Maomé, chamado de Muhammad pelos muçulmanos, no século VI. Alguns aspectos são muito mais rígidos que o cristianismo, como a exigência de vestimentas próprias para mulheres, jejuns rigorosos e uma dedicação religiosa muito mais intensa.

Mesquitas e grandiosos templos estão por toda a parte do país e podem ser vistos de longe. Até mesmo nos aeroportos há espaços reservados para oração, que sempre é feita sem os sapatos, agachado com os joelhos no piso, alinhado na direção de alguma mesquita. Um costume curioso, sistemático e perfeitamente disciplinado. Viajar para um país onde a crença é outra, é algo inexplicável. A melhor oportunidade de aprender sobre a grande diversidade de religiões, culturas e costumes presentes na história da humanidade. Muitos deles vivos até hoje.

Em Casablanca, a mesquita Hassan II, a maior do país, ostenta o minarete mais alto do mundo. Sua torre atinge 200 metros de altura e é considerado um dos principais exemplares da arquitetura marroquina da cidade. Mais de 10 mil artesãos trabalharam na construção, compondo as as paredes de texturas e adornos. Nos detalhes é possível apreciar os mosaicos simétricos que preenchem boa parte do templo e dos grandes portões. Dependendo do horário, você pode ouvir de longe os chamados para reza que saem do alto do minarete e ecoam por toda a parte, cerca de 5 vezes ao dia. Uma energia que mexe com qualquer um, independente da crença. Uma outra curiosidade sobre esse grande templo, é que a Mesquita Hassan II tem a capacidade de receber 105 mil fiéis, cerca de 27 mil pessoas a mais que a capacidade do estádio do Maracanã lotado.

É seguro viajar no Marrocos?

Apesar da religião ser bem presente no país, os marroquinos não são radicais como em países mais perigosos, na verdade Marrocos passam bem longe disso. O país não vive nenhum conflito religioso, além de ser muito turístico e preparado para receber pessoas do mundo todo. Em menos de 1 hora e meia de barco, você chega do continente europeu para Marrocos. Em 2018, Marrakech foi escolhida como o melhor destino da África pelos leitores do TripAdvisor. Marrocos também é um dos países mais visitados da África, ou seja, sempre tem movimento de pessoas nos lugares mais turísticos. Os marroquinos também são totalmente amáveis e solícitos entre eles e com os estrangeiros, o país tem a essência do comércio e movimentação de “forasteiros” acontecem há centenas de anos.

Como mulher tem que se vestir no Marrocos?

O uso dos véus são comuns na cultura muçulmana e cada país ou comunidade utiliza um estilo com cores e formatos diferentes. Quase sempre as tonalidades são escuras, as mulheres se cobrem dos cabelos aos pé com esse longos tecidos, em alguns casos, apenas os olhos ficam visíveis. A origem se dá ao chamado hijab, termo que refere-se ao ato de cobrir-se ou ficar coberto. Uma cultura de séculos faz com que até hoje mulheres sigam com os mesmos costumes. Os homens também não podem mostrar do umbigo para baixo, ou seja, não podem ficar sem camisa em público e é aconselhável usar os tais vestidos chamados de jalabiyah e chapéu, assim como o Maomé. Inclusive, o Profeta disse: “A distinção entre nós e os politeístas é os turbantes sobre as nossas cabeças”. Uma crença religiosa que se tornou cultura ao passar dos anos.

Nas cidades grandes, no aeroporto ou em qualquer lugar que você for, encontrará muitas delas. Em boa parte das cidades, os tons escuros de preto, cinza e azul marinho predominam na vestimenta. Nas cidades grandes como Casablanca e Marrakech, você vê véus de cores mais claras e suaves, inclusive é possível flagrar jovens e adultos com o rosto descoberto sem problema algum.

O véu islâmico é um costume cultural e há vários tipos deles, e assim como as mulheres, também existe homens vestidos com o corpo coberto até os pés e tuaregue envolta da cabeça ou pequenos chapéus. Nos dias de hoje, e principalmente nas cidades maiores, as mulheres têm a opção de usar ou não o véu, mas por causa de uma tradição antiga, muitas delas optam por seguir esse costume como um sinal de respeito.

Como turista pode se vestir no Marrocos?

Para turistas a vestimenta não é um problema, as roupas não são uma regra ou uma preocupação que você deva ter. Os marroquinos estão muito acostumados com estrangeiros e ninguém irá olhar feio para você, caso não esteja usando véu. Entretanto, como um sinal de respeito, é importante que o turista use roupas apropriadas para entrar nas mesquitas e templos religiosos. Desconsidere, por exemplo, entrar de regata ou de bermuda em uma mesquita, além de ser proibido para homens e mulheres, isso seria um desrespeito para eles. Ainda mais visitando um país onde a religião é levada muito a sério e a cultura é totalmente diferente da nossa. Por precaução, caso você seja mulher, pode ser recomendado usar um véu se for viajar sozinha ou passar por cidades menores.

Como é o idioma no Marrocos?

Os marroquinos, em sua grande maioria, aprendem três idiomas: árabe, berbere e francês. Guias turísticos e comerciantes estão super preparados para receber turistas, mas como é um país próximo da Espanha, falar espanhol já é suficiente para viajar tranquilo nas cidades grandes. Em comunidades do interior, ir com um guia bilíngue é bem recomendado.

Como é a moeda no Marrocos? 

A moeda oficial do Marrocos é o dirham marroquino (dirrã). A moeda brasileira tem basicamente o dobro do valor da moeda do país (julho/2018). No país dos artesanatos e dos tapetes árabes, é possível comprar artigos para casa e presentes com ótimos preços. Você encontra souvenir bem trabalhados por menos de 20 reais. As pashmina (feitas em tecidos nobres), custam em média 25 reais. Uma luminária árabe com detalhes vazados e feito artesanalmente, sai em média de 35 a 90 reais. Os tapetes são mais caros, justamente por serem feitos à mão, em um processo de paciência e extremo capricho.

Qual moeda levar para Marrocos?

Trocar reais por dirham marroquino é praticamente impossível. Por segurança, se for levar dinheiro em espécie, o mais recomendado é levar moedas em dólar, pois tem mais aceitação. Chegado no Marrocos você pode trocar as moedas por dirham ou utilizar dólar nos principais lugares turísticos. Os hotéis também costumam oferecer o serviço de câmbio para hóspedes. Nos comércios em geral, eles não diferenciam euro de dólar, sendo a mesma cotação para eles. Então o mais recomendado é levar dólar em virtude da variação do câmbio.

Brasileiros precisam de visto para entrar no Marrocos?

Brasileiros não precisam tirar visto com antecedência para entrar no Marrocos. Entretanto, é necessário um passaporte em bom estado e dentro do prazo de validade (10 anos). O visto de turismo para brasileiros é feito na entrada do país e tem o prazo de permanência de 90 dias.

Fotos: Gustavo Albano

* Essa viagem foi feita a convite da Delegação Oficial de Turismo de Marrocos em colaboração com a companhia aérea Royal Air Maroc Brasil.

Dicas para planejar sua viagem:

- Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels: descubra os melhores preços e a localização ideal para a sua viagem. Acesse o Booking.com e faça sua reserva parcelada em até 10x.

- Reserve passagens aéreas com até 50% de desconto e total segurança. Economize na sua próxima viagem com as ofertas publicadas diariamente no site oficial da Latam, MaxMilhas e Skyscanner.

- Quer economizar com a hospedagem? O Airbnb disponibiliza um cupom com R$130 de desconto para novos turistas que reservarem acomodações pelo site. Receba o seu Cupom de Desconto Airbnb e use em qualquer destino.

- Está buscando pacotes de viagens em promoção? Encontre os melhores preços para a sua viagem com as ofertas promocionais da CVC e viaje muito mais.

- Não sabe para onde viajar? Confira nossos Guias de Viagem e descubra diferentes lugares para conhecer no Brasil e no mundo.