Trilhas, cachoeiras e muita natureza: conheça o paraíso preservado entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo

A divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo esconde um verdadeiro paraíso contornado por uma natureza exuberante. Trata-se da Serra da Bocaina, localizada entre um trecho da Serra do Mar, que se estende por cidades como Paraty, Angra dos Reis, Ilha Grande, Cunha e São José do Barreiro.

A região preserva grandes atributos naturais como trilhas, cachoeiras, fazendas e belos mirantes naturais, sendo que os principais se concentram dentro no Parque Nacional da Serra da Bocaina, uma das maiores áreas protegidas da Mata Atlântica. Com mais de 104 mil hectares de belezas naturais, o acesso ao parque é realizado pelo município de São José do Barreiro, no extremo leste paulista.

Por contar com altitudes superiores a 2 mil metros na região serrana até o nível do mar, a área concentra paisagens diversificadas e uma riqueza incrível de fauna e flora, incluindo espécies endêmicas e ameaçadas de extinção. Além disso, a Serra da Bocaina também mantém um rico passado e caminhos que revelam parte da história do Brasil.

Conheça algumas atrações imperdíveis para conhecer e se deslumbrar na Serra da Bocaina.

Lugares imperdíveis na Serra da Bocaina

Cachoeira Santo Isidro/ Foto: Halley Pacheco de Oliveira

Caminho de Mambucaba (Trilha do Ouro)

A Serra da Bocaina guarda uma das caminhadas mais impressionantes para quem é apaixonado por história, natureza e cultura. A Trilha do Ouro ou caminho de Mambucaba, no Parque Nacional da Serra da Bocaina, foi originalmente aberta por índios e escravos entre os séculos XVII e XIX, se tornando um percurso de pedra para quem desejava desviar das rotas oficiais do ouro e fugir das barreiras alfandegárias.

Para que ama trekking, é uma das experiências mais autênticas para realizar. O trajeto de 51 quilômetros é percorrido em três ou quatro dias de caminhada, de São José do Barreiro, em São Paulo, a Angra dos Reis, no Rio. São cerca de 6 horas de caminhada por dia e, tanto os pernoites como a alimentação, são realizados nas casas de moradores locais. Ao longo do trajeto, além da mata exuberante e do caminho de pedra, há diversas cachoeiras, rios e paisagens de tirar o fôlego. Para solicitar a visita e realizar a trilha, é necessário contatar o ICMBio e pedir uma autorização prévia.

Cachoeira de Santo Isidro

Santo Isidro é a cachoeira mais próxima da portaria do Parque Nacional da Serra da Bocaina, ou seja, mesmo se você não for percorrer o trajeto total da Trilha do Ouro, é possível conhecer a queda d’água em apenas 45 minutos de caminhada.

A queda de 50 metros de altura é impressionante e há ainda um ótimo poço para banho com águas refrescantes e cristalinas. Neste caso não é necessário agendamento prévio junto ao ICMBio, mas fique atento ao horário de visitação, que vai até 16h.

Cachoeira das Posses

Outra opção dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina é a Cachoeira das Posses que, por estar um pouco mais afastada que a Santo Isidro, costuma ficar mais vazia. A trilha de 8 quilômetros e de dificuldade média leva a incrível queda de 30 metros formada pelas águas do rio Mambucaba. Sem dúvida, esta é outra opção imperdível para conhecer na Serra da Bocaina.

Cachoeira do Veado 

Quem chega até a Cachoeira do Veado, no geral, está percorrendo o Caminho do Ouro, já que para acessar a imponente queda d’água são necessários dois dias de caminhada. No entanto, todo esforço é compensado com uma das vistas mais bonitas da região e de seus 200 metros de altura formados por duas quedas. A cachoeira também oferece dois ótimos poços para banho.

Pico do Tira Chapeu 

O Pico do Chapeu está entre os dez locais mais altos do Estado de São Paulo. São mais de 2 mil metros de altitude alcançados por uma trilha de aproximadamente 9 quilômetros de subida ( de 2 a 3 horas de caminhada), considerada de alta dificuldade.

A visão é impressionante, sendo possível admirar o Vale do Paraíba, o Vale do Mambucaba e Paraitinga compensa as três horas de caminhada morro acima. O acesso mais famoso é por meio da Fazenda Pinheirinho, ao lado do Parque Nacional da Serra a Bocaina.

Mirante do Sobrado 

Próximo a portaria de acesso do Parque Nacional da Serra da Bocaina, o Mirante do Sobrado, na cidade de São José do Barreiro, é outra opção para quem quiser apreciar uma vista panorâmica da região. A visão do local contempla todo o vale do rio Mambucaba, onde se vê a Pedra da Macela e Pedra do Frade. A subida até o topo leva cerca de duas horas.

Fazendas históricas 

A região da Serra da Bocaina teve um papel importante no auge do ciclo do café e até hoje mantém algumas propriedades que fizeram parte desta época. A região reúne cerca de 80 fazendas que preservam a arquitetura colonial, expõe objetos da época e oferecem tours e atividades para quem deseja conhecer mais sobre o período e reviver tradições do passado.

Pedra da Macela 

Localizada na cidade de Cunha, são aproximadamente dois quilômetros de caminhada por uma subida  para acessar a Pedra da Macela, no entanto, a vista do alto dos seus 1840 metros é incrível, permitindo contemplar o Vale do Paraíba, a região do Parque Estadual da Serra do Mar, a baía de Paraty, Angra dos Reis e Ilha Grande. Tudo isso ainda é cercado por montanhas e árvores nativas da mata atlântica.

Quando visitar a Serra da Bocaina

Foto: Rafael Borges Mundim/ Wikimedia Commons

O inverno, entre maio e agosto, é um ótimo período para visitar a Serra da Bocaina, momento em que as chuvas são menos frequentes e os pontos de interesse ficam mais vazios. No entanto, as temperaturas costumam cair, com média de 10°C, sendo que as mínimas podem chegar a 2°C negativos nas madrugadas mais frias.

No verão, apesar de ser o melhor momento para se refrescar em um banho de cachoeira devido às altas temperaturas, as chuvas são mais frequentes e podem dificultar o acesso a trilhas e mirantes. Além disso, este é um momento de alta temporada e as atrações ficam mais disputadas.

Como chegar na Serra da Bocaina 

Foto: Leandra Toledo da Silva/ Wikimedia Commons

Partindo de São Paulo  

Para quem sai de São Paulo rumo a Serra da Bocaina, há duas opções de trajeto. Seguindo pela rodovia Presidente Dutra, a primeira opção é entrando em Silveiras, mas vale lembrar que este trajeto é mais demorado. Há também a opção de entrar em Queluz, o caminho mais rápido. Ambos percursos conduzem a Areias e São José do Barreiro, porta de entrada para a Serra da Bocaina.

Partindo do Rio de Janeiro 

Já quem parte do Rio de Janeiro para visitar a Serra da Bocaina, deve seguir pela rodovia Presidente Dutra até Barra Mansa, entrando na RJ-157 em direção a Bananal, e dali seguir até São José do Barreiro. É necessário prestar atenção em uma placa que indica “Serra da Bocaina” em Bananal, mas ela conduz a uma região sem entrada oficial para o Parque Nacional da Serra da Bocaina, portanto não siga esta indicação.

Leia também:

» Viaje de carro pela charmosa estrada de Cunha x Paraty
» 20 lugares do Estado de São Paulo que vão impressionar você
» Lugares para conhecer em Paraty
» Linha de trem Curitiba–Morretes ganhará novo vagão de luxo com varanda panorâmica

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

Como ir de Paris a Bruxelas: trem, avião, carro ou transfer

Artigo anterior

Parque temático de dinossauros chega a Olímpia, no interior de SP

Artigo seguinte

Você pode gostar