Planejando sua viagem, mas o dinheiro está curto? Conheça nove destinos onde os custos são bem menores.

Muitas vezes viajar pode ser uma tarefa difícil. A principal dificuldade pode ser a financeira, impedindo o viajante a garantir uma experiência transformadora. Entretanto, é possível encontrar destinos que se adequem as pretensões de gastos e que possibilitam prazeres tão bons, e até maiores. Conheça abaixo nove destinos na América do Sul onde é possível viajar mesmo com baixo orçamento.

Alter do Chão – Brasil

Foto: lubasi / Flickr

Conhecida mundialmente como pequeno povoado “Caribe Amazônico” depois da publicação de um jornal Inglês, Alter do Chão, hoje garante uma representatividade privilegiada no cenário do turismo. Localizado no município de Santarém, entre as capitais Belém e Manaus, Alter é considerado um destino realmente barato, pois além das opções de hotéis e hostels, ainda e possível se hospedar em redários realmente econômicos. Os valores custam cerca de R$7 a R$10 por noite. Para comer, os preços são tão atrativos quanto, visto que o povoado está encravado no meio da Floresta Amazônica. Ideal para um mochileiro que deseja passar mais tempo pela Amazônia.

La Paz – Bolívia

Foto: Russland345 / Wikimedia Commons

A capital boliviana e terceira cidade mais populosa, reserva atrações para qualquer tipo de viajante, sobretudo os mochileiros. Por estar numa localização próxima ao Brasil, a economia já acontece nos preços das passagens, além disso com 30 reais é possível se locomover de ônibus por mais de 400 quilômetros na cidade. O transporte público é preferência da maioria dos habitantes, e de dia o valor é 60% mais barato do que a noite. A alimentação também é uma vantagem onde pode se comer bem com cerca de R$ 10. Em hospedagens como hostel e até trabalhos voluntários em hotéis é possível economizar ainda mais.

Cartagena – Colômbia

Foto: Creative Commons Zero – CC0

Para se chegar a Cartagena das Índias é possível a partir de conexões de vôos partindo de Bogotá ou Panamá, ou cruzeiros, porém a segunda opção é mais cara. Com passagens compradas com antecedência é possível uma economia de até 40% do valor costumeiramente cobrado. A alimentação na cidade varia entre 15 e 25 reais o almoço, já o café da manhã entre 12 e 18 reais. Já a hospedagem tem uma variação maior de acordo com a preferência do viajante: hotéis sofisticados podem custar até 1.140,00 reais a diária. Mas é possível encontrar hostel seguros e hotéis menores com variações de 95 reais a diária à 200 reais a diária.

Cusco – Peru

Foto: StockSnap / Pixabay

A cidade localizada no Vale Sagrada dos Incas é o principal destino turístico do país, principalmente para àqueles que pretende conhecer e aprender mais sobre as civilizações antigas da América Latina. É justamente nesta cidade que, também, existe a maior diversidade do país, a miscigenação de culturas antigas com a cultura espanhola reservam uma multiplicidade de manifestações artísticas que atraem os visitantes. O valor médio da alimentação em Cusco é um pouco maior em relação aos outros destinos. Uma média de R$28,00 a R$30,00 almoço e jantar, e café da manhã ou tarde entre R$12,00 a R$15,00. Já para se hospedar é possível encontrar locais pelo centro, como Plaza de Las Armas, com uma leque bastante grande de valores. De R$25,00 em hostels à R$3.000,00 em hosteis com mais comodidade. O transporte de ônibus é a opção mais barata, porém são lentos, optar pelos táxis é uma boa pois são baratos e o valor é de acordo com a distância percorrida.

Lima – Peru

Foto: Murray Foubister / Wikimedia Commons

A capital e maior cidade do Peru, assim como Cusco, possui uma riqueza cultural que transpassa manifestações de povos tradicionais – como os Incas – bem como festividades espanholas. Por ser a capital, há muitos bares e restaurantes para se conhecer, e seu centro é mais movimentado no período noturno. Os museus guardam uma infinidade de artigos e histórias Incas, um passeio importante para àqueles que visitam tanto o país. Em termos de transporte é importante se atentar que os pontos turísticos mais procurados ficam distantes uns dos outros, logo é necessário se locomover de forma mais rápida. Optar por táxis pode ser atrativo, por não ter taxímetro é possível negociar o valor com os motoristas, e ônibus é sempre a opção mais em conta. Em termos de gastronomia os valores se assemelham ao de Cuzco, almoço e jantar em torno de R$28,00, café da manhã em torno de R$15,00, mas ainda é possível encontrar locais que oferecem uma alimentação saudável a menor custo. As hospedagens seguem o mesmo padrão, porém nos arredores do centro é possível encontrar as diárias mais baratas: em torno de R$30,00 em hostels e R$200,00 a R$300,00 em hotéis menores.

Quito – Equador

Foto: PatoSan / Pixabay

Um dos destinos mais baratos para brasileiros viajarem devido a proximidade. Em Quito, há muito o que se fazer em termos de turismo. Encontra-se atrações que atraem tanto viajantes mais ricos à mochileiros. Um dos principais empecilhos seria a passagem aérea que variam entre R$2.500,00 a R$3.000,00, ainda sim, com antecedência é possível encontrar promoções aéreas e economizar. Um valor médio diário foi estimado pelo site Budget your trip com base entrevistas tanto com mochileiros como turistas mais privilegiados. O valor médio diário dos mochileiros variam entre U$ 15,00 a U$ 20,00 de comida, transporte e pequenas compras. Em Quito, os valores de hospedagem em hotéis menores chegam no máximo a U$ 100,00 (três estrelas) a diária, mas encontra-se com facilidade quartos com valores próximos a R$ 20,00.

Buenos Aires – Argentina

Foto: Creative Commons CC0

O atrativo em Buenos Aires começa pelas passagens aéreas que variam entre R$700,00 à R$1.000,00 dependendo da época do ano. A capital do tango oferece uma gastronomia incrivelmente atrativa, além dos bares noturnos que agradam a qualquer turistas. Uma noite na capital Argentina gasta-se em média de R$100,00 a R$150,00 em locais mais baratos, mas com bom divertimento. Um outro atrativo é que na capital existe uma infinidade de hostel localizados no centro, garantindo uma economia de transporte e estadia. A diária varia entre R$70,00 à R$300,00 em hotéis com mais comodidade, mas, ainda é possível encontrar hospedagens a R$25,00! Devido ao reconhecimento gastronômico, a alimentação em Buenos Aires não é tão em conta assim, mas, em locais mais simples é possível almoçar a R$20,00.

Montevidéu – Uruguai

Foto: Felipe Restrepo Acosta / Wikimedia Commons

Conhecer Montevidéu, a capital do Uruguai, é possível, mas requer um bom planejamento. Uma das principais fontes de economia está na ida ao país de carro. Muitas pessoas já realizaram essa viagem e garantem economias em relação a passagens, porém exigem um planejamento muito eficiente e com bastante antecedência. Outra forma de economizar é buscar por promoções de passagens aéreas que geralmente acontecem fora da época de alta do turismo (fim e meio de ano essas promoções ocorrem com menos frequência). Com muita sorte é possível encontrar passagens no valor de R$400,00. Comer em Montevidéu é caro. Em muitos estabelecimentos, por exemplo, cobra-se uma taxa pela utilização das mesas. Elas estão apresentadas nos cardápios juntamente com seus valores que variam de restaurante para restaurante. Optar por hospedagens com cozinha é uma garantia de economia, podendo fazer jantares em restaurantes em dias específicos. Em termos de transporte é sempre bom optar pelos públicos. Os ônibus são uma boa saída, pois além de custar pouco, são vazios e percorrem boas distâncias. Os táxis têm uma variação grande de valores, mas os mais comuns se assemelham aos do Brasil em termos de valores. A hospedagem em hotéis baratos varia de R$150,00 à R$300,00, mas optar por hostel pode garantir uma economia de quase 70%.

São Jorge, Goiás –  Brasil

Foto: Aline Fortuna / Wikimedia Commons

A Chapada dos Veadeiros tem se tornado cada vez mais o destino procurado por viajantes brasileiros. A variedade de cachoeiras existentes, o contato com a natureza, a tranquilidade e as trilhas são os principais atrativos da região cuja porta de entrada é a vila São Jorge, Goiás. Boa parte das hospedagens também são hostels, permitindo um valor mais acessível médio de R$30,00 a R$50,00 a diária. Em São Jorge encontra-se muitos restaurantes com valores muito acessíveis (R$25 a R$30 reais o almoço) com comidas tradicionais. Em outras regiões que garantem acesso a outros trechos da chapada é possível encontrar valores ainda mais baratos do que esse. Algumas comunidades locais oferecem esse serviço aos visitantes, garantindo uma comida muito saborosa e a baixo custo.

A partir dessa lista é possível ver como um bom planejamento e organização permitem uma viagem que caiba em bolsos mais “apertados”.

» 10 rotas para fazer um mochilão pelo Brasil
» Roteiros para fazer um mochilão pela América do Sul
» 70 lugares para conhecer na América do Sul
» Viaje gastando pouco: descubra as cidades mais baratas para fazer mochilão

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Seguros Promo.
» Faça o seu visto e antecipe seu passaporte com a Visto Fácil.

Maior livraria flutuante do mundo passará por 5 cidades do Brasil

Artigo anterior

Intercâmbio na Coréia do Sul: dicas e informações para estudar no país

Artigo seguinte

Você pode gostar