Conheça os destinos mais fascinantes para visitar na Terra da Rainha

A Terra da Rainha é um dos países mais fascinantes do planeta e, apesar de não ter um território muito extenso, tem muitos lugares com paisagens deslumbrantes, comidas deliciosas e muitas opções de coisas para fazer. Para ajudar os viajantes que estão planejando uma trip para conhecer o território britânico, separamos algumas das cidades mais bonitas da Inglaterra.

Londres


Foto: fotofan1 / 44 Pixabay

Ao mesmo tempo em que é um lugar cheio de tradições, Londres também é uma cidade cosmopolita, moderna e cheia de estilo, ou seja, é o lugar perfeito para os turistas do mundo inteiro. Com tantas opções de culinária, diversão, teatro e festivais, a Terra da Rainha é o tipo de lugar que todos deveriam visitar ao menos uma vez na vida.

O Palácio de Buckingham nunca fica de fora do roteiro de uma viagem para Londres. Por ser o edifício real mais importante do país, é uma atração cheia de história e beleza. Durante os dias de verão, os viajantes tem a oportunidade única de conhecer o interior da residência da realeza – não os aposentos, mas diversas peças do mobiliário e objetos do palácio e o salão do trono -; os mais curiosos também podem visitar da Galeria da Rainha para ver a coleção real. Os turistas que, infelizmente, não pretendem visitar o destino nos dias mais quentes do ano não ficarão sem conhecer nada da moradia oficial da monarquia, pois podem conhecer os Royal Mews, ou melhor, Estábulos Reais, que ficam abertos durante o ano inteiro.

A troca da guarda está entre as atrações imperdíveis do palácio. Como não é preciso pagar para conferir de perto a troca, muitas pessoas se dirigem até o local para ver, então, a dica é chegar cedo (com uma hora de antecedência, pelo menos) para conseguir assistir de uma vista privilegiada.

Entre os cartões postais que não podem ser esquecidos estão o Big Ben (símbolo da cidade, a torre em estilo gótico abriga quatro relógios e é um lembre constante da pontualidade dos britânicos) e o Parlamento Britânico (um dos prédios mais famosos do mundo que está aberto para visitação durante todo o ano e onde é possível assistir a debates e audiências), mas próximo deles há uma das atrações mais visitadas de todo o país: a London Eye. A roda gigante tem 135 metros de altura e possibilita que os visitantes tenham uma vista panorâmica de toda Londres, então, para conhecer o brinquedo sem passar por estresses – ou enfrentar filas – muitos turistas optam por comprar os ingressos online. A vista lá de cima é simplesmente maravilhosa e faz toda a trip valer à pena.

Uma das coisas mais importantes para quem sai do país de origem para viver novas aventuras e, claro, registrar alguns desses momentos. A primeira sessão de fotos, com certeza, deve ser feita em Camdem Town, um dos lugares mais visitados da cidade e cheio de coisas bacanas, como grafites, artistas de rua, brechós, enfim, de tudo um pouco; o The Shard – que é o prédio mais alto de toda a Europa – também está entre na lista dos lugares para fazer os melhores cliques da trip; e o Lake Street Tunel, um espaço cujas paredes e teto são totalmente cobertos de grafite. Obviamente, há muitos outros cenários incríveis espalhados por Londres, mas é difícil listá-los, se não as dicas não terão mais fim.

Apesar de a gastronomia inglesa não ter uma fama muito reconhecida, as comidas típicas são deliciosas! Entre os pratos que representam – e muito bem – a cidade estão o internacionalmente conhecido fish and chips (um prato bem simples, composto de peixe empanado e batatas, que pode ser encontrado em, praticamente, qualquer restaurante do país) e o café da manhã inglês (composto por ovos, torradas, geleia, tomate, salsicha, cogumelos, linguiças de sangue e feijão), duas iguarias que ninguém pode deixar de experimentar. Esses são apenas dois exemplos, mas o viajante pode ficar despreocupado, pois vai comer bem enquanto estiver em Londres.

Liverpool


Foto: Maxssx / Pixabay

Apesar de ser a quinta maior cidade da Inglaterra, cheia de edifícios históricos e um lugar que respira cultura, Liverpool é conhecida mundialmente como “a cidade dos Beatles”. Diante disso, é impossível falar sobre a cidade sem falar sobre a banda – ou sobre música. Mas a região vai muito além disso: o povo respectivo e os pontos turísticos são os responsáveis por deixar tudo ainda mais encantador.

As pessoas apaixonadas por música – e, claro, pelos magníficos Fab Four – precisam conhecer o Cavern Club, onde já tocaram grandes bandas, como The Rolling Stones, Queen, Elton John, os próprios Beatles, entre outras. Para os fãs de rock’n’roll tomar uma cerveja no lugar é uma experiência mágica.

Mas uma viagem até Liverpool só é completa com uma foto na faixa de pedestres em que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr fizeram a clássica foto do álbum Abbey Road, que leva esse nome por causa da rua em que a imagem foi feita. Para reproduzir a famosa foto é preciso ter paciência para encontrar o momento perfeito e tranquilo para fazer a travessia, pois a rua é bastante movimentada e disputada.

Outro cartão postal da cidade é a catedral de Liverpool, uma construção que impressiona com sua magnitude e história. Em forma de cone, o edifício foi construído em formato circular, ou seja, muito diferente das outras catedrais tradicionais em formato de cruz. Como a entrada é livre, basta reservar um dia de passeio para passar por lá e fazer uma tour e conferir toda a decoração gótica.

Os turistas que não abrem mão de conhecer mais a cultura e história dos destinos para os quais viajam devem colocar no roteiro uma visita ao Albert Dock, um complexo de coleção de edifícios que é Patrimônio da UNESCO. Por lá existe de tudo um pouco, como lojas, restaurantes, museus e bares, por exemplo. Um lugar imperdível! Os principais atrativos são a galeria de arte Tate Liverpool (uma filial do museu de arte moderna e contemporânea de Londres) e o Museu de Liverpool (que explica a origem da cidade portuária, sua importância cultural, industrial e marítima).

Birmingham


Foto: philwild / Pixabay

Se Birmingham tivesse que ser resumida em três palavras, certamente, elas seriam: divertida, grande e simpática. A segunda maior cidade da Inglaterra tem etnia diversificada, muitos pontos turísticos históricos e um cenário gastronômico extraordinário. Uma curiosidade sobre o local é que ele é considerado o berço do heavy metal (Ozzy Osbourne nasceu na cidade).

A região de Bull Ring é o cenário ideal para começar os passeios. Uma das principais ruas do centro, de lá é possível se deslocar com facilidade para outros pontos turísticos, mas também há muito o que fazer. Lojas para fazer compras, restaurantes, bares e muitas outras opções de entretenimento para agradar até mesmo os mais exigentes.

É muito difícil falar de um lugar tão histórico sem mencionar um de seus principais cartões postais que, neste caso, é a Catedral de São Felipe, uma construção do início do século XVIII. A igreja de estilo barroco pode ser visitada em qualquer dia da semana – há tours gratuitos para quem quiser conhecer mais sua história – é a principal igreja da cidade.

Para aqueles que prezam alguns dias de descanso e relaxamento durante a viagem, uma visita a Victoria Square (marco zero e coração de Birmingham, a praça é repleta de construções históricas, como a torre do relógio Big Brum e uma estátua da rainha Victoria, e por lá sempre acontecem eventos culturais e feiras), a Centenary Square (praça pública onde acontecem os principais eventos culturais da cidade e que abriga o monumento em homenagem aos cidadãos que morreram na Primeira Guerra Mundial) uma caminhada pelos canais de Birmingham (um lugar cheio de charme, restaurantes, bares e um visual deslumbrante) não podem, em hipótese alguma, faltar no roteiro.

Nada melhor para conhecer os costumes locais do que provando a gastronômica típica, certo? A tradição mais forte da culinária de Birmingham é o famoso Balti, um tipo de curry que pode ser encontrado em diversos estabelecimentos espalhados pela cidade, desta forma, fica ainda mais fácil provar.

Newscatle Upon Tyne


Foto: sonywiz / Pixabay

Cidade localizada na região nordeste da Inglaterra, Newscatle Upon Tyne (ou, simplesmente, Newscatle) é bastante diversificada, com grande variedade de áreas verdes e bastante animação. É possível encontrar de tudo: desde castelos antigos até galerias de arte inovadoras, de bares tranquilos para apreciar uma cerveja até baladas para curtir a noite. Com certeza, vale muito à pena explorar a região.

Para começar a visita é imprescindível conhecer o Castelo de Newcastle, construído no século X no mesmo lugar em que, antes, existia o forte medieval que protegia a região e foi o responsável pelo nome da cidade. Quem visita o local tem a oportunidade de conferir uma das vistas mais lindas da cidade (vista de cima da torre) e conferir de perto um pequeno museu com objetos de época.

Por falar em paisagem, a Ponte Tyne – conhecida também como “Ponte do Olho Piscante” – é uma das grandes atrações de Newcastle e um dos lugares com as melhores paisagens da cidade. Extremamente moderna, a ponte “vira” quando embarcações grandes passam atravessando o rio Tyne.

A Catedral de St. Nicholas, construída na mesma época do castelo, é um dos edifícios mais lindos da cidade e sua torre, que contém um anel completo de doze sinos, é um marco de Newcastle.

Comida de rua ou pratos requintados de restaurantes chiques (com direito a estrela no Guia Michelin)? O viajante é quem escolhe! A steak and ale pie, uma torta de carne com cerveja, é um prato muito popular na região e pode ser encontrado em, praticamente, todos os bares, pubs e restaurantes. Para torná-lo ainda melhor, a iguaria ainda acompanha batatas; impossível resistir!

Oxford


Foto: keem1201 / Pixabay

Uma região jovem e descontraída, Oxford é uma cidade universitária por excelência, pois abriga uma das universidades mais importantes do mundo. Mas há muito mais coisas para fazer – e ver – pela região do que a Universidade de Oxford, que também é um passeio imperdível para quem turista pelas Terras da Rainha.

Para começar o passeio com tudo, a primeira parada tem que ser a Torre Carfax. Considerada o centro da cidade, a construção de 23 metros de altura é parte da ruína remanescente da Igreja São Martinho, construída no século XII, por isso a importância história do local. Os viajantes enfrentam uma escada de 99 degraus para ter o privilégio de ver toda Oxford de cima. Uma curiosidade: nenhum edifício da cidade pode ultrapassar a altura da torre.

O museu mais antigo do mundo não pode ser ignorado nesta viagem. Ashmolean, inaugurado no século XVII, possui um acervo de obras fascinantes e relíquias arqueológicas. Um dos maiores atrativos de Oxford, o museu proporciona um passeio completo para o visitante que, além de admirar a estrutura do prédio e suas peças e coleções, pode reservar uma noite para jantar na cobertura do local.

Que tal passar um dia em meio a natureza? A fim de apreciar belas paisagens, os turistas podem se aventurar em um passeio de barco – uma maneira diferente de conhecer um pouco mais sobre a história de Oxford. Aproveitando a visita ao rio Folly, existem alguns pubs em suas margens que são verdadeiros tesouros para relaxar e provar a culinária britânica.

A Universidade de Oxford, claro, não pode ficar de fora do roteiro. Composta por várias instituições, os turistas podem visitar o campus de suas faculdades para conhecer o local e ainda aprender um pouco sobre diversas áreas, como arte, astronomia, arqueologia, anatomia, entre outras. Um dos edifícios mais famosos da universidade, o Christ Church College, foi usado como cenário para Hogwarts, a escola de feitiçaria da saga Harry Potter. Outro lugar de extrema importância é o Teatro Sheldonian, onde acontecem não somente aulas, mas também espetáculos, cerimônias apresentações e palestras. A biblioteca Bodleian, uma das mais antigas de toda a Europa e a mais importante da instituição de ensino, abriga uma cópia de, absolutamente, tudo que é publicado no país, além de uma variedade de itens históricos.

Claro que há muito mais a ser visitado no local, mas essas são as principais atrações para quem vai fazer uma viagem rápida, mas não quer deixar de conhecer esse cartão postal.

Chester


Foto: MichaelDBeckwith / Pixabay

Com uma mistura do antigo com o tradicional, Chester faz parte da lista das “cidades mais bonitas da Inglaterra“. E não é por menos: a região possui atrações imperdíveis, como as muralhas mais preservadas de toda a Inglaterra, construções em estilo enxaimel e ruínas dos tempos romanos. Esses são apenas alguns exemplos da importância da cidade e porque a região conquista cada vez mais os viajantes.

Um dos pontos turísticos mais visitados do país é o relógio Eastgate, o segundo mais fotografado de todo o Reino Unido – fica atrás apenas do icônico Big Ben, de Londres. Aproveitando a ida ao centro histórico, o turista precisa conhecer as muralhas romanas – que possuem um circuito completo de quase 3 km de extensão. Em uma verdadeira viagem no tempo, é possível passar pelos portões medievais, andar sobre as estruturas e conhecer mais algumas construções da época.

O maior anfiteatro romano da Inglaterra (com ruínas que têm mais de dois mil anos) está localizado em Chester. Construído no século I para treinamento militar e entretenimento, hoje o local está completamente em ruínas, mas dá para conferir todo o espaço e imaginar como tudo era na época da dominação romana na cidade.

Os amantes da natureza precisam conhecer a ponte Old Dee, um local que rende belíssimas fotos. Durante o verão, muitas pessoas aproveitam para fazer um relaxante passeio de barco pelo rio Dee. E já que o assunto são as áreas verdes de Chester, o parque Grosvenor não pode ser esquecido, afinal, o local tem mais de 20 acres com muitos canteiros de flores, diversas árvores, trilhas e uma ferrovia em miniatura.

Durham


Foto: tpsdave2 / Pixabay

Localizada ao norte de Londres, Durham é uma cidade medieval que parece ter saído de uma pintura, tamanha a sua beleza. Os castelos imponentes e a catedral – que é o coração do local – sobre uma colina chamam tanto a atenção que fizeram com que a região se tornasse um Patrimônio Mundial pela UNESCO.

A primeira parada obrigatória para conhecer em Durham, claro, não poderia ser outra se não a catedral. Em estilo normando, aliás, um dos melhores exemplos da arquitetura na Europa, a igreja foi construída sobre outra no século X e suas características marcam o início da arquitetura eclesiástica gótica. Os turistas que quiserem também podem subir na torre – basta coragem para encarar seus 325 degraus – e ter uma vista privilegiada de todos os arredores.

Muito perto da catedral existe uma outra construção de extrema importância, o Castelo de Durham. Construído para servir de sede para o rei dos Normans durantes as batalhas e guerras, atualmente a construção é ocupada pela Universidade de Durham e, assim, em algumas épocas do ano (em dias e horários determinados) é possível conhecer suas instalações e história em um tour feito pelos próprios alunos da instituição.

Cambridge


Foto: jamiesuggart / Ppixabay

Conhecida por ser uma das cidades mais universitárias de toda a Inglaterra, Cambride tem tantas atrações que, muitas vezes, fica complicado organizar o roteiro para visitar tudo. Os castelos reais, construções medievais, natureza, cenários e contato fazem a viagem ser inesquecível!

Mesmo as pessoas que não se interessam tanto por arquitetura ficam maravilhadas ao andar pelas ruas da cidade. Um passeio a pé ou de bike é uma ótima maneira para explorar as redondezas, conferir de perto os prédios, museus, pontes, casas e, obviamente, as universidades.

E já que o assunto é esse, a faculdade de St. John, uma das mais conhecidas da Universidade de Cambridge, não poderia ser esquecido. Ponto turístico da cidade, é uma das instituições de ensino mais impressionante por conta da riqueza de detalhes de sua arquitetura (os tijolinhos vermelhos mesclados com bege são marca registrada). Além disso, o local abriga a famosa Ponte dos Suspiros (inspirada na ponte de Veneza que leva o mesmo nome), um dos lugares mais visitados e mais lindos da região – ou seja, ótimo cenário para fotos.

Outra atração da Universidade de Cambridge é o Museu Fitzwilliam. No local, além de todo o acervo (com objetos milenares, obras de artistas consagrados, como Monet e Picasso, entre outras coisas), sempre acontecem exposições muito interessantes.

E que tal provar uma autêntica refeição britânica? Em Cambridge acontecem diversos festivais gastronômicos, com degustações e vendas de produtos locais, mas os visitantes que quiserem provar as iguarias precisam conhecer os diversos restaurantes à margem do rio Cam – com mesinhas ao ar livre, o que torna o momento da refeição ainda mais agradável. Mas, o que o turista precisa colocar no roteiro é: desfrutar de um tradicional e delicioso chá da tarde scones (biscoitos caseiros servidos, geralmente, com geleia de frutas ou um tipo de manteiga suave).

Uma visita à Cambridge só é completa se o turista fizer um passeio de punting pelo rio Cam, que corta os principais pontos da cidade. Os puntings são botes típicos da região, projetados inicialmente para o transporte de pequenas cargas, mas que hoje são utilizados para viagens de passeios. Então, a dica para quem viaja nos períodos mais quentes do no – durante a primavera ou verão – é não deixar de fazer essa excursão para conhecer os principais pontos da cidade, desfrutar a paisagem relaxar.

Wells


Foto: SJPrice / Pixabay

Por ser uma das menores cidades da Inglaterra, muitos turistas não conhecem ou ouviram falar muito da cidade de Wells. Entretanto, o que essas pessoas não sabem é que a cidade é um verdadeiro tesouro que remonta os tempos da dominação romana e é um local cheio de história e lugares interessantes.

A catedral é o principal ponto turístico da cidade, então, uma parada lá é obrigatória durante a viagem. A construção de estilo gótico – aliás, a primeira com esse tipo de arquitetura em toda a Europa – foi construída entre os séculos XII e XIII. Durante o ano, o local recebe muitos eventos além dos tradicionais cultos (entre eles, alguns shows, exposições, palestras e workshops), que atraem visitantes para conhecer a cidade.

O prédio possui mais de 300 esculturas (entre anjos e santos até reis e rainhas), vitrais impressionantes e um relógio astronômico (que ainda marca a hora certa), mas o mais interessante são escadas que levam a Chapter House (sala de reunião usada pelos clérigos para discutir os negócios da igreja), pois os degraus, desgastados pelas centenas de “passos” e de anos, possuem o formato de ondas.

O Palácio dos Bispos – construído no século XIII e residência do Bispo de Bath e Wells – é um dos locais mais lindos de toda a cidade. Cercado por um belíssimo jardim, na propriedade acontecem diversas atividades, como concertos, dias de feiras comunitárias, oficinas e demonstrações.

O centro da de Wells é o lugar ideal para fazer compras, especialmente de produtos locais, artes e artesanatos – por isso, é o passeio perfeito para escolher as lembranças com as quais os amigos e familiares serão presenteados.

Depois de um dia cheio descobrindo o que a cidade tem de melhor para oferecer, nada melhor que uma ótima refeição. A região tem restaurantes e bistrôs com refeições de todos os gostos e tipos, mas é necessário ressaltar que os moradores locais têm muito orgulho de sua culinária feita com produtos regionais. Para experimentar alguns deles, o turista deve colocar no roteiro uma vista ao Mercado Local de Wells.

Bath


Foto: drea0773 / Pixabay

Impossível começar uma explicação sobre essa cidade sem falar sobre seu nome: Bath, que em inglês significa “banho”, é sua principal característica, pois a região é mundialmente conhecida por suas fontes termais (criadas há muito tempo, na época de dominação do império romano). Além disso, a região é extremamente autêntica, ou seja, impossível deixar o destino de fora de uma visita à Inglaterra.

Principal atração, as Roman Baths, como são conhecidas as águas termais, são ponto de parada obrigatória. Mas, ao contrário do que muitos pensam, não é possível se banhar nas águas, pois o local se tornou museu. Quem quiser visitar, pode fazer o tour com direito a um áudio-guia e ainda se vestir como os romanos para fazer fotos incríveis em suas dependências.

Para aqueles que não querem deixar de experimentar como funcionam os famosos banhos nas águas quentes da cidade, o lugar para visitar é o Thermae Bath Spa. No spa é possível fazer tratamentos estéticos e medicinais, massagens e desfrutar de um dia relaxante em uma piscina de céu aberto com vista para as belezas de Bath.

Outra atração é o The Circus, um conjunto de prédios em estilo arquitetônico georginao inglês que chamam a atenção por formarem um círculo perfeito com uma belíssima praça ao meio, ou seja, uma obra cuja forma é maravilhosa. Durante a Segunda Guerra Mundial, parte de sua construção foi bombardeada, mas as casas demolidas foram reconstruídas e restauradas em seu estilo original.

A Abadia de Bath, igreja mais importante da cidade, é um dos maiores exemplares do estilo gótico inglês, mas o que mais atrai os visitantes, além de toda a beleza de seu interior, claro, é o tour que pode ser feito na torre. Um alerta é necessário: para chegar ao telhado é preciso subir nada menos que 212 degraus; mas, acredite, valerá à pena, pois a vista lá de cima é, simplesmente, impressionante e inesquecível.

» 100 cidades para visitar na Europa
» Os castelos e palácios mais incríveis da Grã-Bretanha
» Lugares para conhecer em Londres
» Roteiro de 15 dias no Reino Unido: 5 cidades escolhidas a dedo

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

Austrália quer plantar 1 bilhão de árvores para reduzir o aquecimento global

Artigo anterior

Veja as 7 cidades mais bonitas para visitar no Canadá

Artigo seguinte

Você pode gostar