Viver uma vida sem produzir lixo parece impossível? Conheça o projeto dessa brasileira e inspire-se

Para reduzir o consumo de plásticos e descartáveis, essa brasileira criou um projeto chamado Um Ano Sem Lixo, onde publica dicas em uma página na internet e em seu perfil no InstagramCristal Muniz compartilha reflexões e práticas úteis para quem quer abrir mão do consumo desenfreado e viver uma vida mais simples, saudável e ecológica.

Um dos artigos mais vistos é sobre como viajar sem produzir lixo, onde ela relata a experiência e os esforços para minimizar ao máximo o consumo de itens descartáveis durante uma viagem. Mas, o desejo da mudança não é restrito apenas durante suas férias, ele se estende para o dia a dia e para qualquer lugar que estiver.

A causa disso já é bem conhecida por todos: nunca foi produzido tanto lixo como nos dias de hoje. E, cada vez mais, diferentes soluções estão sendo adotadas para reduzir o impacto ambiental causado pelo maior inimigo do mundo moderno.

E, apesar de termos grandes extensões territoriais, uma das maiores vítimas desse dano não está em terra firme: praticamente todas as praias do mundo contém lixo. São materiais que duram séculos sem se deteriorar por completo, tornando-se um grave problema com o passar do tempo.

Recentemente alguns lugares no mundo criaram leis que proíbem a venda e o consumo de plástico. No Brasil, o arquipélago de Fernando de Noronha foi o primeiro destino que decretou uma lei parecida, podendo até multar o infrator “porcalhão”.

Junto com novas práticas governamentais, pessoas do mundo todo estão repensando a forma como compramos e consumimos. No Brasil, a Cristal Muniz, criadora do blog Um Ano Sem Lixo e do livro Uma Vida Sem Lixo, compartilha ideias práticas para quem quer ser mais ecológico, além de mostrar como é viver uma vida com lixo zero!

Por onde começar?
Algumas dicas mostram que viver uma vida de consumo consciente pode ser muito mais vantajoso para o planeta e para o bolso. Além das questões ecológicas, outros benefícios aparecem atrelados a este processo, como uma economia maior nos gastos do dia a dia, evitando fazer compras por impulso e adquirir produtos supérfluos.

Mudando a forma de consumo
Caso você não consiga excluir totalmente o consumo de lixo, é possível adotar algumas práticas para reduzir o uso desses descartáveis no seu dia a dia. Uma das dicas é valorizar produtos recicláveis ou que ofereçam sistemas de embalagem retornável.

Alimentação
Um outro benefício que logo será notado, é a exigência de ter uma dieta mais regrada, longe dos produtos industrializados que sempre vem acompanhados de embalagens descartáveis que logo se tornarão sem uso.

Fazendo compras
Optar por fazer compras em feiras populares e lojas que vendem produtos por peso, também são alternativas para evitar o consumo de produtos com embalagem. Além de ajudar os produtores locais e pequenos comerciantes da sua cidade, você também melhora sua saúde consumindo produtos naturais.

Evitando o desperdício
Esqueça aquelas sacolas de mercado, canudinhos e copos descartáveis! Esses produtos têm pouquíssimo tempo de vida útil, além de serem um dos principais causadores de lixo nos oceanos e rios. Usar sempre uma sacola retornável no estilo ecobag ou adotar um squeeze para evitar o uso de garrafas e copos plásticos, já pode ser um começo para uma vida mais ecológica.

Recicle sempre
Evite comprar itens que você logo irá descartar, e sempre quer puder, reaproveite embalagens resistentes, dando uma finalidade mais útil ao que seria jogado fora.

Gostou dessas dicas para uma vida mais sustentável? Compartilhe esta notícia com seus amigos e acompanhe o projeto da Cristal Muniz no Instagram e no Facebook.

View this post on Instagram

O caminho do mundo mais sustentável não é pra ser trilhado sozinho. 🌿 As empresas e os negócios tem papel fundamental no futuro mais legal para todos nós, né não? Mas como que um negócio pode ser mais sustentável? 🤔 É isso que eu falo lá no blog (link na bio) no último post!⠀ São dicas básicas como separar o lixo, não ter mais descartáveis de plástico (ó o @meucopoeco), desligar eletrônicos e luzes quando ninguém está usando, imprimir menos coisas em papel, não vender água engarrafada em restaurantes (olha a foto!).⠀ Mas isso é o que todo mundo já deveria fazer, o básico mesmo, independente do produto ou do serviço que sua empresa vende. Ir além é que deixa as coisas mais emocionantes! 😍❤️⠀ A Mercur é uma empresa que desde 2009 vem colocando muito esforço pra ser diferente do senso comum. São mudanças entre as pessoas e a gestão, na captação de água da chuva, na redução das cotas de carbono, introduzindo alimentos orgânicos para a refeição dos funcionários, pesquisando maneiras de parar de fazer testes em animais (!!!) e muitas outras ações que fazem da empresa um negócio mais sustentável para o meio ambiente e para as pessoas. ✨ No blog eu listo tudo o que eles fazem pra mostrar com um exemplo real – e brasileiro – que é sim possível! E não precisa, necessariamente, ter um produto "eco" para fazer o que é certo. Esse produto melhor vai surgindo aos poucos.⠀ O que rola na sua empresa? Conta aqui, lê o post, vamos melhorar esse negócios Brasil afora?⠀ ⠀ Vamos lembrar que moramos em sociedade, em cidades, em condomínios, não moramos sozinhos. Se queremos mudanças no mundo, precisamos sentar juntos, lado a lado pra conversar e agir. 💪💪💪⠀ ⠀ #publi #umanosemlixo #umlixoamenos #lixozero #zerowaste #trashisfortossers #zerowastehome #nowaste #notrash

A post shared by Cristal Muniz (@cristalmuniz) on

» Bicicleta elétrica da Uber deve chegar ao Brasil ainda neste ano
» Parque suspenso em meio à Mata Atlântica é inaugurado em SP
» Fernando de Noronha proíbe plásticos e descartáveis em toda a ilha
» 34 praias brasileiras que valem toda a viagem

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas e Skyscanner.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

4 dias na natureza são suficientes para melhorar sua criatividade e renovar suas energias

Artigo anterior

Regiões Vinícolas da França

Artigo seguinte

Você pode gostar