A Chapada Diamantina possui cachoeiras, rios, cânions e grutas que formam um cenário único para conhecer no Brasil

Um dos lugares mais bonitos do Brasil, a Chapada da Diamantina, no estado da Bahia, é um gigante reduto de belezas naturais. O lugar concentra incríveis formações como rios, cânions, vales e grutas, um prato cheio para quem é apaixonado por ecoturismo.

Para se ter uma ideia de tamanha grandiosidade são mais de 300 cachoeiras catalogadas na região, responsável por quase todas as nascentes das Bacias do Paraguaçu e do Rio de Contas.

São tantos lugares para se deslumbrar que fica difícil concentrar todos em uma única viagem. São necessários muitos dias para conhecer cada pedacinho desse gigante universo verde de 38 mil quilômetros quadrados.

Para se organizar na hora de realizar os passeios a dica é se hospedar em cidades próximas às principais atrações, considerando duas ou três como base para se locomover. Para quem vai de carro,é importante ficar de olho na gasolina, já que os lugares ficam distantes um dos outros e nem sempre há postos para abastecer no caminho.

Uma dica que facilita muito na hora de explorar as belezas da Chapada da Diamantina é contratar uma agência para realizar os passeios: a oferta é grande e em todas as cidades de base há guias credenciados e transfers para as principais atrações.

Confira um guia que preparamos com as principais dicas para conhecer e se deslumbrar com a Chapada da Diamantina.

Cidades próximas a Chapada da Diamantina


Mucugê

A charmosa Mucugê foi palco da descoberta dos primeiros diamantes encontrados na Chapa da Diamantina em 1844. Rodeada por montanhas, 52% do seu território é coberto por uma densa mata nativa do Parque Nacional da Chapada da Diamantina e do Parque Municipal de Mucugê. A cidadezinha é a única a apresentar o único cemitério bizantino do Brasil.

Igatu

A pequena vila de Igatu possui sinais de sua história estampada em suas construções e no estilo de vida tranquilo dos moradores. O vilarejo possui diversas atrações, como as ruínas das casas de pedra construídas pelos garimpeiros e as trilhas que seguem para diversas atrações naturais, como o Vale do Pati.

Ibicoara

Ibicoara fica localizada no sudoeste da Chapada Diamantina e, apesar de ser menos procurada do que as outras cidades da região, vem crescendo e recebendo cada vez mais turistas, especialmente os que pretendem visitar atrações próximas como a cachoeira do Buracão.

Andaraí

A cidade de Andarai está bem ao centro do Parque Nacional e está próxima a diversos atrativos como o Poço Encantado, o Pantanal Marimbus e a Gruta da Paixão.

Palmeiras (Vale do Capão)

Com clima esotérico, despretensioso e hippie, o Vale do Capão faz parte da cidade de Palmeiras e está localizado no meio do Parque Chapada. Cercada por serras, a vila é realmente um lugar fascinante e porta de acesso para atrações como a Cachoeira da Fumaça e a do Morrão.

Lençóis

Charmosa e agradável, Lençóis é a cidade mais estruturada para receber os turistas que desejam visitar a Chapada da Diamantina. A cidade histórica tem bons restaurantes, inúmeras opções de hospedagem, aeroporto e conta com as principais agências de turismo que realizam passeios na região.

Itaeté

A 140 km de Lençóis, a Itaeté é o ponto de partida para atrações como as grutas da Lapa do Bode, Lagoa Preta e Natal, além da Cachoeira do Herculano e a Ronceira. Além disso, é uma ótima base para quem deseja conhecer o poço Encantado e o Poço Azul.

O que fazer na Chapada da Diamantina


Foto: Maurício Gomes de Oliveira/ Wikimedia Commons

Pantanal Marimbus

Um pantanal em pleno cerrado baiano, a região de Marimbus reúne águas calmas em meio a vitórias régias e um horizonte repleto de belas paisagens da Chapada da Diamantina. O passeio é realizado por canoas ou caiaques.

Cachoeira do Buracão

Considerada uma das mais belas da região e com 85 metros de queda d’água, a Cachoeira do Buracão fica localizada em um cânion emoldurado por pedras folhadas. Ao acesso é realizado por uma trilha agradável que margeia um rio.

Cachoeira da Fumacinha

Uma das trilhas mais difíceis da Chapada da Dimantina, com duração de cinco horas, é recompensada por uma belíssima visão da imensa queda d’água cercada por paredões rochosos.

Morro do Pai Inácio

O principal cartão postal da Chapada da Dimantina é um deleite para quem aprecia vistas deslumbrantes. São 1.120 metros de altitude de onde o turista pode observar uma boa parte do parque, além de curtir um dos pores do sol mais lindos do Brasil.

Cachoeira da Fumaça

Considerada uma das maiores quedas d’água do Brasil, a Cachoeira da Fumaça impressiona por sua imponência em seus 360 metros de altura. O acesso para contemplar a visão de cima da cachoeira é realizado por meio de uma trilha de aproximadamente duas horas.

Poço Azul

No Poço Azul, localizado no município de Nova Redenção,  você poderá flutuar em águas azuis e cristalinas de uma gruta, que ficam ainda mais belas quando iluminadas por raios solares, uma experiência única. O acesso é fácil e o local possui restaurante, estacionamento e loja de artesanato.

Gruta da Pratinha

Nesse passeio é possível realizar diversas atividades como tirolesa, pedalinho, caiaque e flutuação em uma gruta com águas incrivelmente cristalinas, além de nadar em um rio com águas claras e diversos peixinhos.

Gruta da Lapa Doce

Se você aprecia os mistérios subterrâneos, precisa conhecer a Gruta da Lapa Doce, um enorme local perfeito para se deslumbrar com  imensas formações de estalactites e estalagmites.

Poço Encantado

Um dos passeios mais bonitos para se fazer na Chapada da Diamantina, o Poço Encantado possui 60 metros de profundidade e tons impressionantes que se sobressaem ainda mais quando iluminados por raios solares. Não é possível realizar a flutuação como no Poço Azul. O ideal é realizar os dois passeios no mesmo dia.

Cemitério Bizantino de Mucugê

Com lápides brancas, que imitam pequenas igrejas góticas, o Cemitério Bizantino de Mucugê teve sua origem no início do século 19, quando uma epidemia de cólera e varíola atingiu a região. Durante a noite, holofotes azuis iluminam o cemitério e dão um charme misterioso ao lugar.

Vale do Pati

Para quem gosta de trekkings, o Vale do Pati é um dos mais belos  do Brasil. Há diversas possibilidades de roteiros que variam de três a cinco dias, por isso a atração é recomendada para quem tem dias de sobra em uma viagem à Chapada da Diamantina.

Outros atrativos na Chapada da Diamantina

  • Rio Mucugezinho
  • Poço do Diabo
  • Cachoeira do Roncador
  • Projeto Sempre Viva
  • Museu Vivo do Garimpo
  • Gruta da Torrinha
  • Cachoeira do Mosquito
  • Cachoeira do Mixila
  • Poço Halley
  • Cachoeira da Primavera
  • Cachoeira do Sossego
  • Complexo Arqueológico Serra das Paridas

Como chegar na Chapada da Diamantina


Foto: Guia Viajar Melhor

De avião

A maneira mais rápida para chegar a Chapada Diamantina é através do aeroporto Horácio de Matos, no município de Lençóis, que recebe voos regulares a partir de Salvador e está a 20km do centro da cidade, na BR-242.

De carro

Desde a capital baiana, siga pela BR-324 até Feira de Santana e depois pela BR-116 até a ponte sobre o rio Paraguaçu. O trecho seguinte é percorrido pela BR-242 até Lençóis.

De ônibus

Para quem deseja ir de ônibus através da capital do estado as três companhias que fazem o transporte de Salvador até a região e a viagem dura cerca de seis horas. De Salvador até Lençóis são 409 km.

Melhor época para visitar a Chapada da Diamantina


Foto: Guia Viajar Melhor

Durante o período de chuvas verão, que vai de novembro a janeiro, as cachoeiras ficam cheias, no entanto as trilhas podem ficar mais escorregadias e difíceis de percorrer.

A época da seca, de abril a outubro, não há chuva e as cachoeiras ficam menos densas. Para quem deseja fazer o trekking no Vale do Pati, a melhor época é no meio do ano.

Para encontrar o Poço Azul e o Poço Encantado com raios de sol que penetram nas cavernas e tornam o tom da água muito mais azul, o ideal é ir entre o inverno e o outono. Contudo, os dois lugares são lindos em qualquer época do ano.

 O que você precisa saber antes de ir para a Chapada da Diamantina


Foto: Guia Viajar Melhor

– As atrações da Chapada da Diamantina ficam distantes uma das outras, portanto, se você for de carro calcule as rotas e quanto irá gastar de gasolina. As principais cidades contam com postos, menos no Vale do Capão. Mantenha o tanque sempre cheio por precaução.

– A maioria das atrações exigem preparo físico e o acompanhamento de guias credenciados da região. Evite sair sozinho para não correr o risco de se perder ou se machucar.

– Leve roupas e tênis confortáveis, repelente e ande sempre com uma garrafinha de água para se manter hidratado durante as trilhas.

– Leve dinheiro em espécie, pois o acesso a bancos é limitado. As principais cidades possuem algumas agências e caixas eletrônicos. Banco do Brasil (Andaraí, Lençóis, Mucugê e Rio de Contas), Bradesco (Andaraí, Ibicoara, Lençóis, Mucugê, Palmeiras, Rio de Contas e Vale do Capão) e Caixa Econômica Federal (Andaraí, Ibicoara, Lençóis, Mucugê,Palmeiras e Rio de Contas).

» 4 passeios imperdíveis para fazer na Chapada Diamantina
» Chapada Diamantina: conheça a Cachoeira da Fumaça
» Todo o encanto do Poço Azul na Chapada Diamantina
» Conheça 11 casas na árvore para se hospedar no Brasil

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas e Skyscanner.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

Programação – Blocos de Carnaval de rua em São Paulo 2019

Artigo anterior

Com falésias gigantescas, Praia do Madeiro é a predileta dos turistas que visitam Pipa

Artigo seguinte

Você pode gostar