Agora é oficial! Noronha Plástico Zero entrou em vigor nesta semana (11). Canudos, copos descartáveis, sacolas e isopor são alguns dos itens proibidos

Um dos principais destinos brasileiros adotou recentemente uma lei que proíbe o uso e a comercialização de plásticos em todo o arquipélago, abrangendo 21 ilhas, com o objetivo de reduzir os danos ambientais causados pelo uso excessivo de plástico. A medida busca reverter os problemas relacionados ao lixo e o descarte indevido desses resíduos.

O primeiro anúncio foi feito em dezembro de 2018, assinado por decreto por Guilherme Rocha, administrador geral do distrito. A resolução proíbe canudos, talheres de plástico e outros itens descartáveis como sacolas, copos plásticos e até isopor. Segundo Rocha, a ilha ainda não consegue reciclar nem 30% do lixo que produz, sendo a maior parte enviada para Recife, capital pernambucana.

A sede administrativa fica na Vila dos Remédios, na ilha de Fernando de Noronha, onde as principais regras que buscam preservar esses biomas e a rotina do arquipélago são decididas. A nova regra agradou os moradores e os turistas que visitam Noronha. Os comerciantes entenderam a necessidade da nova legislação e tiveram um período de 4 meses para se adaptarem e conhecer melhor as novas regras.

Foto: Gustavo Albano / Guia Viajar Melhor

Por que proibir plásticos?

Segundo pesquisa feita em 2018 no Reino Unido e publicada na revista brasileira Galileu, todos os animais marinhos do planeta têm plásticos no organismo. Os números são alarmantes e mostram a urgência na redução desses impactos ambientais. O projeto Marine Plastics do Laboratório Plymouth Marine, também estudou cerca de 50 animais marinhos mortos na costa da Grã-Bretanha, entre eles 10 espécies de golfinhos, baleias e focas.

O resultado foi devastador: todos esses mamíferos tinham resíduos indesejados em seus organismos, eram fragmentos de fibras sintéticas, náilon, redes de pesca, escovas de dente e pedaços de garrafas plásticas e embalagens. Pelo excesso de lixo plástico, que duram cerca de 450 anos para se decompor, é fácil entender a causa desses danos. Esses lixos viajam longas distâncias, e mesmo que sejam descartados em locais distantes do oceano, não demoram muito até chegar à costa.

Foto: Gustavo Albano / Guia Viajar Melhor

Animais que podemos encontrar em Fernando de Noronha 

Fernando de Noronha é um arquipélago localizada em meio ao Oceano Atlântico e pertence ao estado de Pernambuco,  considerado um dos biomas marinhos mais preservados do Brasil. O principal atrativo do arquipélago são suas belezas naturais quase intactas, concentrando mais de 95 espécies de peixes, além de uma quantidade abundante de golfinhos, tubarões e tartarugas marinhas. Mergulhando em suas belas praias, não é difícil encontrar essas espécies que vivem livre em suas baías, ilhotas e encostas.

Distante a apenas 345 km do continente, a ilha principal é a única habitada, onde concentram-se as vilas, pousadas e comércios da região. As demais pertencem ao Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha, unidade de conservação tombada e reconhecido como patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO desde 2001.

Foto: Gustavo Albano / Guia Viajar Melhor

» Lugares para conhecer em Fernando de Noronha
» Guia de praias para conhecer em Fernando de Noronha
» Dicas para programar uma viagem à Fernando de Noronha
» Fernando de Noronha proíbe plásticos e descartáveis em toda ilha

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas e Skyscanner.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

ONU revela projeto de “cidades flutuantes” para o futuro

Artigo anterior

Destinos imperdíveis em uma viagem a Miami

Artigo seguinte

Você pode gostar