Implantada ao longo dos últimos anos, o turismo LGBTQI+ tem sido um segmento que mais cresce no ramo de viagens!

O turismo no segmento LGBTQI+ tem crescido ao redor do mundo. Em uma conferência organizada pela revista ViaG realizada em 2018 em São Paulo – 2º fórum de Turismo LGBT no Brasil 2018 – foram apresentadas diversos destinos. Dos mais procurados aos mais acessíveis, cada um deles apresentava motivos suficientes para o crescimento desse setor.

Confira abaixo 15 destinos Gay Friendly para viajar ao redor do mundo.

São Francisco


Foto: Free-Photos / Pixabay

São Francisco é a quarta cidade mais populosa do estado da Califórnia nos Estados Unidos. É popularmente conhecida com a capital Gay. É assim chamada devido a um dos seus principais representantes políticos: Harvey Milk, o primeiro político assumidamente gay a vencer uma eleição. Em sua candidatura, interrompida por uma assassinato, garantiu e lutou a favor de direitos aos cidadãos gays da Califórnia e dos EUA como um todo. Essas políticas públicas alcançadas depois de muito esforço e resistência permitiram segurança tanto para quem visita a cidade como para àqueles que residem.

Cancún


Foto: Dronepicr / Wikimedia Commons

Outra cidade que atrai muito o turismo LGBTQI+ no mundo é Cancún, localizado no estado de Quintana Roo no México. Evidentemente, Cancún é um destino preferido por todos pela beleza e tranquilidade de suas praias. Mas, também, sempre chamou a atenção do público LGBTQI+ pela respeitabilidade. Tanto que, devido ao largo turismo gay, foi organizado a Semana Gay de Cancún. Estes 7 dias de festas é um dos eventos principais voltado ao público LGBTQI+ no mundo. Vale conferir!

Berlim


Foto: Kai_Vogel / Pixabay

A capital Alemã é reconhecida, além da vida cultural agitada, pela sua diversidade vivenciada no cotidiano das ruas. Logo após o fim da segunda guerra mundial, a Alemanha – ainda não unificada – passou a adotar diversas políticas de proteção e cuidado com os cidadãos perseguidos. Essas seguranças garantidas a muito custo geraram um clima de pacificidade, sobretudo, aos seus visitantes e turistas. Vale mencionar, que a vida noturna oferece amplas opções para o público LGBTQI+

Tel Aviv


Foto: via Trip & Travel Blog

A segunda maior cidade de Israel, e referida como capital, é conhecida como a meca gay no oriente médio. Além da semana da Parada de Tel Aviv, um outro motivo que atrai o público gay é o fato de que Tel Aviv é a exceção no oriente médio. Outros países que circundam Israel não possuem a mesma postura de respeitabilidade para com o público LGBTQI+, podendo inclusive, ser julgado como crime o afeto entre pessoas do mesmo sexo.

Las Vegas


Foto: Moyan Brenn / Wikimedia Commons

Localizada no estado de Nevada, Las Vegas, atrai tanto os viajantes que preferem tranquilidade como aqueles mais empolgados com a vida noturna. Os casinos de Las Vegas são a reconhecidos internacionalmente, mas o roteiro de entretenimento é muito mais amplo dos que os jogos. A cidade recebe sazonalmente eventos voltado à população LGBTQI+, de conferências a festas públicas conduzida por Djs conhecidos internacionalmente.

Barcelona


Foto: kirkandmimi /Pixabay

Para muitos é um paraíso para qualquer turista, mas, cada vez mais o turismo no segmento gay cresce. A cidade como um todo possui uma postura de respeitabilidade, entretanto há alguns bairros diretamente voltado a atender ao público LGBT´s com diversos bares e boates – um bom exemplo é o bairro L´Eixample. É reconhecido também por promover a Parada Gay mais frequentada do mundo.

Mykonos


Foto: EvanRoss / Pixabay

Essa ilha Grega faz parte do arquipélago das Cíclades, no centro do Mar Egeu. Além de bares, casas noturnas e boates, Mykonos – ou Míconos – possui hotéis reservados ao público gay, bem como praias de nudismo. Todo o cenário Grego que vemos em fotos e reportagens de revista está presente na ilha de Mykonos, além de suas praias lindas de água transparente. Durante o verão é possível, também, aproveitar as discotecagens eletrônicas que ocorrem na beira da praia.

Rio de Janeiro


Foto: Poswiecie / Pixabay

A cidade maravilhosa já foi eleita diversas vezes como o melhor destino LGBT pela Conferência Internacional de Turismo LGBT. Essa atração não ocorre apenas pelos inúmeros bares e baladas que estão ao longo da cidade, certamente, o que atrai não é apenas a vida noturna, e sim – e também! – as praias movimentadas ao longo do dia. O carnaval é também um evento que chama a atenção do turismo LGBT nacional e internacional.

Brigthon


Foto: 12019 / Pixabay

A comunidade LGBT e Gay de Brighton é a maior da Inglaterra, isso já atesta o porque o turismo neste segmento é frequente na região. Conhecida com a capital gay da Inglaterra, oferece uma vida noturna vasta para viajantes do mundo inteiro. Brigthon, inicialmente, era reconhecida pela pesca, somente mais tarde passou a receber o título de cidade preferida dos estilistas. Historicamente há um dado interessante que confirma o título de capital gay. Durante as guerras Napoleônicas a região recebia inúmeros soldados LGBT que construíram pequenos bairros e vilarejos.

Aruba


Foto: chengtzf / Pixabay

Aruba já foi eleita diversas vezes como a melhor ilha de férias do mundo. Está localizada ao largo da costa da Venezuela. É um território autônomo do Caribe e recebe anualmente milhares de turistas. Reconhecido como um destino Gay-Friendly por sua vida noturna agitada, e também para àqueles que irão realizar a lua de mel. A ilha é conhecida, pelos habitantes locais, como “One Happy Island”, e quem a visita confirma essa expressão.

Porto Rico


Foto: MariamS / Pixabay

O arquipélago localizado no caribe de língua espanhola é um destino procurado por diversos turistas. As praias caribenhas como um todo são os principais atrativos. Recentemente, o governo de Porto Rico anunciou que irá banir o termo e práticas de “Cura Gay”, demonstrando, internacionalmente, o respeito que tem pelos visitantes que frequentemente estão pelas ilhas. Um outro dado importante que confirma Porto Rico como um destino Gay-Friendly são os frequentes pronunciamentos de seus representantes referindo-se a si mesmo com “Compatriotas da comunidade LGBT do mundo”.

Florianópolis


Foto: jdbenthien / Pixabay

A capital Catarinense possui amplos motivos para receber o turismo gay internacional e nacional. Além de ser uma das cidades pioneiras em discutir a discriminação contra o público LGBT como crime, já foi sede de inúmeros fóruns que debatem a temática. A Praia Mole e Praia do Galheta são as mais procuradas pelo público. Em Florianópolis acontece também a segunda maior Parada Gay do país.

Amsterdã


Foto: 1919021 / Pixabay

Cerca de 30% da população de Amsterdã se reconhece como pertencente a comunidade LGBT, isso já é um enorme indício da receptividade em relação ao turismo gay. Holanda foi o primeiro país a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A capital possui serviços de hospedagem e consumo direcionada ao público LGBT, além da Parada Gay que percorre os canais da cidade tornando o evento ainda mais lindo. Em Amsterdã existe um monumento em homenagem àqueles que lutaram para garantir os direitos gays e LGBT. São três triângulos rosas que constituem o chamado de Homomonument.

Londres


Foto: Free-Photos / Pixabay

A cidade inglesa é conhecida por ter a maior população gay da Europa, devido a isso é considerada, não oficialmente, como a capital gay da Europa. Em uma pesquisa realizada pela Office National Statistics a propensão de se identificar com a comunidade LGBT por parte da população é maior na cidade de Londres. O cenário local que desenvolve atrações voltadas ao público LGBT é cada vez mais crescente, acompanhando o aumento do turismo neste segmento, bem como a população local.

Paris


Foto: Free-Photos / Pixabay

Paris é reconhecida mais pela sua extensa programação cultural do que, necessariamente, a promoção de eventos e atividades direcionadas ao público gay ou LGBT se comparada ao restante dos países europeus. Entretanto, a região de Marais reserva uma vasta quantidade de programações voltadas e direcionadas ao público em questão. Evidentemente, se resumem a vida noturna, onde é possível encontrar muitas pessoas. Isso não significa que durante o dia não há o que se fazer. Pelo contrário, a respeitabilidade para com os turistas é comum entre os parisienses, ainda mais se tratando do turismo LGBT. Desta forma, a agenda ideal é aproveitar a visita a museus e palácios durante o dia e durante noite conhecer os bares, cafés e casas noturnas do bairro de Marais.

O crescimento excessivo do turismo LGBT representa também um avanço importante no que se refere à discussão e aceitação à diversidade, gerando respeito e direitos. Nas diversas conferências realizadas nos últimos anos o que estava em questão não era gerar atrações destinadas apenas a esse público, mas, sim, uma garantia de segurança e convívio harmonioso entre os diferentes.

Certamente, o que esses lugares representam é muito mais do que apenas viagens, mas, também, uma aceitação mais pacífica.

» 5 países onde a LGBTfobia é crime
» Roteiro turístico em Alagoas: Rota Ecológica
» Melhores praias para curtir na Califórnia
» 16 fotos que vão te deixar morrendo de vontade de visitar Jericoacoara

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$130 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Seguros Promo.
» Faça o seu visto e antecipe seu passaporte com a Visto Fácil.

7 ecovilas brasileiras para conhecer, aprender e descansar

Artigo anterior

10 experiências diferentes para fazer em Buenos Aires

Artigo seguinte

Você pode gostar